RD POLITICA ( WC e redação)


30% das candidaturas são das mulheres, abstenção elevada preocupa políticos, Amorim amplifica “briga” a deputado em Ariquemes

personRD POLITICA ( WC e redação) date_range05 Jul 2018 - 14h39

Mulheres – A obrigação de pelo menos 30% dos candidatos nas eleições deste ano sejam mulheres preocupa os dirigentes partidários. Não basta a filiação partidária. O partido terá que, obrigatoriamente, ter 30% dos postulantes a cargos eletivos, nas eleições de outubro próximo de mulheres-candidatas e não, apenas filiadas. Até as eleições anteriores as mulheres, que representam segundo dados nacionais, 44% das filiações partidárias, e pouco representam no Congresso Nacional.



Excluídas – No Senado, 16% são mulheres e na Câmara Federal, 10,5%, uma insignificância. As mulheres são maioria do eleitorado brasileiro (52%), mas na prática pouco representa. Para a atual legislatura do parlamento estadual foram eleitas três mulheres: Glaucione Rodrigues (MDB), que se elegeu prefeita em Cacoal em 2016 e renunciou; Lúcia Tereza (PP), que faleceu no exercício do mandato e Rosani Donadon (PDT), pré-candidata à reeleição. As mulheres devem e precisam ocupar maior espaço na política. Rosani é a única mulher no parlamento estadual que tem 24 membros.  



Abstenção – Nota-se que os dirigentes partidários não estão atentando para uma situação que poderá complicar o processo eleitoral deste ano, que é a pré-disposição de boa parte, se não a maioria dos eleitores em não ir às urnas. A eleição suplementar a prefeito de Vilhena, realizada em junho último demonstrou isso de forma muito transparente. Apesar da mobilização em torno dos dois nomes mais de 25% dos eleitores deixaram de comparecer às urnas. Os candidatos que se preparem.



Cabeção – O vereador de Ariquemes, Ernandes (Cabeção) Amorim, que já foi prefeito de sua cidade em duas oportunidades, deputado estadual, deputado federal e senador, afirmou recentemente à coluna que só concorreria este ano, caso fosse a governador, único cargo político que ele, ainda, não ocupou na política estadual. Na época ele estava no PTB, agora foi para o PR e admitiu sua pré-candidatura a deputado estadual. O Cabeção é um político polêmico, trabalhador e bom de voto.



Divisão – Ariquemes tem hoje o maior número de deputados estaduais. São quatro com domicílio eleitoral no município e pré-candidatos à reeleição. Com a decisão de Amorim em disputar uma vaga à Assembleia Legislativa aumenta a divisão de votos entre os eleitores de Ariquemes. Dos quatro pré-candidatos pelos três estavam com chances de reeleição, mas agora, com a entrada de Amorim na busca de vaga na Ale a concorrência aumentou. A “briga” por espaço será acirrada.



Respigo



Desde que o futebol perdeu o encanto com lances geniais descartados, jogadores clássicos e arbitragem polêmica a qualidade em campo só piorou. As quartas de final da Copa do Mundo da Rússia não têm uma seleção que realmente empolga +++ Mesmo o Brasil, que venceu as três partidas não tem um grupo de jogadores diferenciados, apenas algumas exceções. Infelizmente o futebol de várzea, as “peladas” nas ruas e campinhos em terrenos baldios cederam espaços para os “empresários’, que mercantilizaram o futebol onde cabeças de bagres ganham fortunas e não jogam nada +++ Mesmo assim vamos assistir e torcer pelo Brasil contra a Bélgica na tarde de sexta-feira (6). Futebol está no sangue do brasileiro +++ Quem tiver compromissos comerciais e de outros segmentos deve buscar resolvê-los até as 13h de sexta-feira. Após tudo estará fechado em razão do jogo do Brasil, a não ser os serviços essenciais.



Autor / Fonte: Waldir Costa / Rondônia Dinâmica


Sobre o autor

RD POLITICA ( WC e redação)