A POLITICA VISTA POR UM POETA ( SILVIO PERSIVO


A Alemanha respira também no fim

personA POLITICA VISTA POR UM POETA ( SILVIO PERSIVO date_range28 Jun 2018 - 07h17 location_onPORTO VELHO -RO

A Alemanha iniciou a partida indo para cima da Suécia com todo gás. Nos primeiros dez minutos sufocou os suecos e não seria nada injusto que tivesse feito um a zero. A questão é que, sem conseguir ser efetivo no último passe ou chute, as oportunidades foram sendo perdidas de abrir o placar. E, aos poucos, foi permitindo que a Suécia, enfim, pudesse organizar contra-ataques. Tanto que o atacante sueco Berg ganhou na corrida da zaga alemã, mas, Neuer saiu bem do gol para ficar com a bola, embora, o atacante tenha reclamado que foi empurrado (com razão).  A Alemanha continuou soberana até que, aos 32 minutos, Berg roubou a bola no meio-campo passou para Claesson, que avançou e cruzou para Toivonen. O atacante matou a bola no peito, entre dois zagueiros, e cobriu Neuer abrindo o placar.  O jogo ficou mais equilibrado e a Suécia teve a melhor oportunidade antes do fim do primeiro tempo quando Larsson cruzou a bola na área, e Berg  cabeceou no cantinho para o goleiro alemão se esticar e fazer uma bela defesa.



A Alemanha veio, no segundo tempo, para o tudo ou nada. E se deu bem, logo aos 3 minutos, Timo Werner veio pela linha de fundo,  na lateral esquerda, cruzou a bola no meio da área, e Reus apareceu, se antecipando ao zagueiro, para tocar para o fundo do gol e deixar tudo igual. E daí para a frente os alemães foram empurrando o jogo para o campo adversário, sufocando a Suécia que nem mesmo mais conseguia organizar o contra-ataque. Ficou somente sendo defesa, mas, a supremacia não se transformava em gol. O tempo passando até que  Jérôme Boateng recebeu, aos 37 minutos, o segundo cartão amarelo por uma entrada perigosa. Mesmo em inferioridade numérica a Alemanha continuou atacando em busca da vitória. E, de tanto martelar, no último lance do jogo, já nos acréscimos, Timo Werner sofre uma falta, na lateral esquerda, que Kroos bate com uma curva incrível, e a bola entra no ângulo da meta sueca! A Alemanha virou para cima da Suécia! No fim, de uma forma incrível. 


Sobre o autor

A POLITICA VISTA POR UM POETA ( SILVIO PERSIVO

Colaborador do quenoticias.com.br, Silvio Persivo é Economista com Doutorado em Desenvolvimento Sustentável pelo NAEA, escritor, poeta e professor de Economia Internacional e Planejamento Estratégico da UNIR. E-mail: silvio.persivo@gmail.com