OPINIÃO DE PRIMEIRA (SERGIO PIRES)


ALFÂNDEGA E FINGERS: AEROPORTO SERÁ INTERNACIONAL NÃO SÓ NO NOME

personOPINIÃO DE PRIMEIRA (SERGIO PIRES) date_range14 Out 2017 - 09h14



Um dos temas principais da semana foi a internacionalização real do aeroporto de Porto Velho, que de internacional só tem o nome. Não há um só voo que nos ligue a outros países, embora estejam surgindo, agora, informações positivas que apontam para que, enfim, isso vá ocorrerá em breve. O passo mais importante e o que está, até agora, impedindo que tenhamos voos internacionais, é a falta do sistema de Alfândega, ainda longe de ser  instalado. O  alfandegamento de cargas e passageiros tem um alto custo, em função dos vários equipamentos especiais que exige: mais de 7 milhões de reais. Além disso, é necessária uma negociação com a Polícia Federal, que precisa manter grandes equipes no aeroporto, em sistema de revezamento, nas 24 horas do dia. Todo o projeto, segundo o presidente da Fecomércio, Raniery Coelho, já foi encaminhado às autoridades federais e ao Governo do Estado. O vice governador Daniel Pereira, aliás, é um dos principais batalhadores para que, depois de anos e anos de atraso, o Jorge Teixeira receba voos de outros países. Daniel já fez propostas para empresas aéreas da Bolívia, Peru e Panamá, para que comecem a analisar a possibilidades de voos entre Porto velho e as maiores cidades daqueles países e, ao mesmo tempo, criem um sistema de transporte de cargas que possa abrir um leque de negociações internacionais. Também estão previstos para serem implantados no ano que vem, dois sistemas Finger, chamado na linguagem burocrática de Equipamento de Ligação Operacional (ELO). São aqueles conectores que levam o passageiro da sala de embarque até dentro da aeronave. Emendas de parlamentares (Marinha Raupp e Luiz Cláudio foram dois deles), já confirmaram algo em torno de 4 milhões e 500 mil reais para a implantação do novo sistema.



Há também outras medidas que precisam ter tomadas, para tornar moderno e eficiente a aeroporto de Porto Velho. A área de estacionamento é ainda deficiente. Os locais para entrega e recebimento de cargas são antiquados e não dão conta de qualquer aumento que ocorra, principalmente em grandes transações internacionais. Internamente, o sistema de som ainda é ridículo; o ar condicionado pouco e, embora a pista tenha segurança e siga os padrões internacionais, por aqui não se consegue ver aviões decolando e aterrissando. Isso, é claro, sem falar nos preços abusivos, cobrados no comércio interno, porque também os donos de lojas e restaurantes são explorados e têm que pagar fortunas para se manterem por lá. Em questão de aeroporto internacional, somos apenas amadores. Com todas as mudanças que vêm por aí, quem sabe se nosso Jorge Teixeira um dia se torne mesmo coisa de gente grande e de Estado rico?  



ROTA DE COLISÃO COM O DER



Que não se convide para a mesma mesa o deputado Aélcio da TV, um dos mais votados de Porto Velho e o ex deputado e atual diretor geral do DER, Ezequiel Neiva. Aélcio fez, mais uma vez, duro discurso contra Neiva, nessa semana, na Assembleia Legislativa. No caso específico de Aélcio, a briga é por causa de apenas um pequeno trecho de 200 metros no bairro Areal da Floresta, na Capital. O parlamentar diz que liverou uma emenda de 500 mil reais há dois anos, para que a obra fosse feito. Até hoje o dinheiro não foi usado e o DER ignorou seus constantes pedidos. Por trás, ainda, há a questão política. Não só Aélcio, mas vários deputados (como o representante do cone sul, Luizinho Goebel) estão em rota de colisão com o homem das obras do Governo, acusando Ezequiel de usar o cargo para fazer campanha política, tentando voltar à Assembleia. Nesse trecho do protesto de Aélcio da TV, entende-se mais a situação: “o Ezequiel não dá um passo sem ter uma negociação política, seja ela, com liderança comunitária ou vereadores dos municípios. Suas politicagens estão prejudicando milhares de pessoas”. Deu prá entender?



 



É SÓ ESCOLHER O ADJETIVO!



O programa eleitoral do PT, que foi ao ar nesta semana, foi uma das mais primorosas obras de ficção dos últimos tempos. Pelo que se viu  nele, o Brasil era uma maravilha, algo muito próximo ao Paraíso, quando Lula, Dona Dilma e seus queridos aliados governaram. Exatamente, por serem os grandes salvadores da Pátria e da população, sofreram um violento golpe, antidemocrático e ilegal, que tirou do poder “uma Presidente honesta”, aquela mesma que está com seus bens indisponíveis, para garantir a recuperação de pelo menos parte dos prejuízos que ela causou à Petrobras. Já Lula, o pai dos pobres, que se autocompara a Juscelino Kubitscheck, Getúlio Vargas e outras personalidades, além, é claro, de se equiparar ao próprio Cristo, é apenas um perseguido político, que a Justiça brasileira, ineficiente e parcial (tudo isso segundo o programa), quer impedir de ser novamente o Presidente do Brasil, para nos salvar, outra vez, é claro! Sugere-se a ingestão de vários comprimidos de Plasil, aquele antivômito, antes de ser assistir novamente a essa coisa inominável, que é sinônimo de reles, indigno, inqualificável, revoltante, segundo o Google! PS: não houve qualquer citação à maior roubalheira contra o dinheiro público na história desse país! 



A HORA DA VINGANÇA



Quando lançou o então jovem Marcos Rogério na política, o senador Acir Gurgacz apostou suas fichas numa parceria duradoura. Marcos se elegeu deputado federal, para surpresa de muita gente e, no decorrer dos anos, foi se afastando do seu mentor político, que hoje é pré candidato ao Governo. Os dois estão divorciados politicamente e Gurgacz está preparando a vingança política. Tratou de encontrar um nome concorrente para ao menos complicar a tentativa de reeleição do seu ex parceiro. O nome escolhido não poderia ser melhor: o da vereadora de Ji-Paraná Silvia Cristina, que concorreu à Assembleia, no último pleito e teve quase oito mil votos. Em 2016, ela teve a maior votação para a Câmara, chegando a quase 2 mil votos. Será sim uma adversária de peso para Marcos Rogério, pelo menos na sua principal base, a Ji-Paraná, onde os Gurgacz concentram seu maior poder. Liderando o DEM no Estado, ao menos até agora, o parlamentar que busca a reeleição não tem mostrado preocupação com a chegada de Silvia Cristina na parada. Ao menos publicamente... 



APRENDENDO COM DONA IEDA!



Tem que se tirar o chapéu para a festa das crianças, para dezenas de milhares de pessoas, que a Prefeitura realizou na praça Madeira Mamoré. Milhares de presentes, alegria, emoção, shows, brindes (o ponto alto foram as 300 bicicletas, doadas pela empresa Cairu, aqui mesmo de Rondônia!), num evento grandioso e, melhor de tudo, sem custo algum para os cofres públicos. Nesse particular, há que se homenagear o trabalho duro e com resultados altamente positivos, liderados por dona Ieda Chaves, esposa do prefeito Hildon Chaves. Ela fez uma mobilização de tal porte, envolvendo tanta gente; sensibilizou tantos empresários e parceiros, que, além de realizar uma festança que vai ficar na história da Capital por longos anos, ainda deixou uma lição clara. De que há sim como se fazer grandes eventos sem mamar nos cofres públicos. Tomara que outros eventos como esse e festividades culturais (como o Carnaval e o Flor do Maracujá, por exemplo) também usem a criatividade para buscar recursos privados. Dona Ieda ensinou o caminho... 



SOB O DOMÍNIO DO APERTO



Alguém aí chegou a imaginar que um quilo de gás poderia, em poucos meses, custar muito mais do que o mais caro preço do litro do que a gasolina?  Pois a liberação geral nos preços, autorizado pelo governo e usada e abusada pelo Petrobras, pode colocar, em breve, o preço de uma botija de 13 quilos hoje, em Porto Velho, acima dos 72 reais, com os mais de 12 por cento autorizados nesta semana. São nada menos do que quatro aumentos num prazo de cerca de 60 dias. Virou esculhambação. Durante os governos do PT, o preço dos combustíveis e também do gás foram contidos artificialmente, o que já é um absurdo. Só que agora, às custas do bolso do brasileiro, que já está vivendo sob o domínio geral do aperto financeiro, isso quando está empregado, a Petrobras quer tirar, numa só tacada, tudo o que perdeu durante praticamente uma década. Não se estranhe se os velhos fogões a lenha voltarem às casas, porque, com esse custo abusivo, muita gente não vai suportar pagar por uma botija de gás o preço de quase três quilos de filet mignon. 



AINDA TEM QUE VACINAR!



Dos  quase 14 milhões de cabeças de gado existentes no Estado, pelo menos 6 milhões e meio devem ser vacinados nesta próxima campanha contra aftosa, que começa neste domingo e vai até 22 de novembro. Nesta edição, devem ser vacinados as cabeças de até 24 meses. É bom lembrar aos produtores rondonienses que a vacinação continua obrigatória, até que, provavelmente a partir do ano que vem, o Ministério da Agricultura declare Rondônia livre da aftosa sem vacinação. Como essa notícia correu rápido no meio rural do Estado, ficou a impressão de que a decisão da zona livre da doença sem a necessidade de vacina já estivesse valendo. Não está. Se tudo der certo, se não houver qualquer suspeita ou risco, se as campanhas de vacinação continuarem sendo feitas corretamente, é praticamente certo que a partir do final de 2018 ou início de 2019, sejamos uma área completamente livre da doença, sem necessidade de novas campanhas de imunização. Quando isso acontecer, os produtores rondonienses economizarão cerca de 30 milhões de reais/ano com as vacinas e ainda terão abertos muitos novos mercados mundiais para nossa carne.  



PERGUNTINHA



O horário de verão que começa à meia noite deste sábado e que deixa Rondônia com duas horas a menos em relação ao centro sul do país, prejudica de alguma forma sua vida ou nada vai mudar?



 



 


Sobre o autor

OPINIÃO DE PRIMEIRA (SERGIO PIRES)

Colaborador do www.quenoticias.com.br: Sérgio Pires, experiente jornalista e que escreve a coluna OPINIÃO DE PRIMEIRA no jornal Estadão do Norte. Atua também na TV Candelária, onde apresenta aos sábados o programa Candelária em Debate e diariamente o "PAPO DE REDAÇÃO" na rádio Parecis FM. Contato através e-mail: ibanezpvh@yahoo.com.br / celular: 81 24 24 24