O QUE DA NOTICIA (AOR OLIVEIRA)


ARIQUEMES VIVE UMA DISTOPIA POLITICA

personO QUE DA NOTICIA (AOR OLIVEIRA) date_range01 Jun 2020 - 08h09 location_onARIQUEMES

A politica de Ariquemes descamba para o mundo das incertezas dos eleitores, a cada dia surge um novo nome para querer ocupar a cadeira principal do Palácio Aldo Carpintero.



O nome principal seria Thiago Flores atual prefeito, mas este desistiu, por circunstancias familiares, ou até mesmo por conta das traições sofridas dentro da prefeitura talvez até de membros de sua inteira confiança.



Lucas Follador este não emplaca por ter a pecha de preguiçoso por ter ficado por quatro anos como vice-prefeito sem dá um prego na barra de sabão, pelo que sabe pouco contribuiu para o desenvolvimento do municio, agora não pode reclamar, se não cair nas graças do povo.



Tiziu o pássaro preto corre pelas beiradas feito mineiro, se articular para fazer uma campanha de ataques sem objetividade e um plano de governo consistente que possa chamar a atenção do eleitor, tem um índice de rejeição muito grande.



Bem esses são os nomes principais da disputa.



Agora veremos:



Zé de Freitas – não se sabe até onde vai seu alcance politico que possa reverter em voto.



Paulo da Civil – candidato de internet, não se pode assegurar que todos esses votos sejam depositados nas urnas, portanto é um vácuo eleitoral.



Natan Lima – vereador recém lançado pelo Deputado Alex Redano com o apoio do Prefeito Thiago Flores, pode ser uma surpresa nas urnas, e se tornar o ocupante do Palácio Aldo Carpintero.



 ILDEMAR COIMBRA – Lançado pelo PSL, novo na política, é empresário bem sucedido, só não sabemos qual é o seu termômetro eleitoral, não deve ter sucesso pois a onda Bolsonaro acabou na praia, se acreditar nisso tá nocauteado as 0:00 segundos.



Por outro lado, ainda se empilham no desfiladeiro da política inúmeros nomes querendo ser vice, na verdade essa é a distopia de Ariquemes.



E aí, quem mais se enquadra nessa disputada?



Por que. Cap. Levi, não é o candidato do MDB?



Caso aja um acordo democrático entre o Poder Legislativo e o Poder Eleitoral – TSE estaremos  chegarmos próximos da votação para elegermos um novo Prefeito e novos Vereadores para governar o município, é preciso que debatamos as propostas apresentadas pelos dois candidatos, e que não haja traição política partidária pelos mandatários dos partidos tipo Lucio Mosquine e Confúcio Moura. Certa vez me dizia muito entusiasmado que seria o candidato a prefeito pelo o MDB e que tinha recebido as bençãos de Confúcio, para o Cap. Levi essa alegria não durou muito, pois, logo viria o carte de foice aplicado pelos maiores signatários do partido. Nas mão de Levi a campanha do MDB estaria muito bem obrigado, o cabeceira político dos mais positivos com uma passagem invejável pela Câmara Municipal, com atuações inéditas, foi um marco na relatoria do Plano Diretor, um gigante no projeto de lei porteira adentro e muitas outras ações que se formos enumerarmos levaríamos uma lauda.



     Nas Comissões Levi apresentou proposta de melhoria de trânsito, isto porque fora secretário de trânsito e é amplo conhecedor da matéria.



Cap. Levi sempre foi muito preocupado com a violência doméstica que está presente em todas as faixas etárias e nas mais distintas classes sociais, porém, são as mulheres pobres e periféricas, segundo Levi, quem mais sofrem com a violência. E são elas também as que menos tem acesso à informação e tecnologia.



Portanto até o presente momento ainda não se sabe o porque Levi não mais o candidato do MDB.



O DINHEIRO DA SAÚDE



A cidade de Ariquemes foi contemplada pelo governo federal com a quantia de R$ 15.316.816,53; afora essa grana a saúde de Ariquemes tem recebido outros recursos engajados na onda Coronavírus  o curioso é que a sociedade não tem uma prestação dos gastos, a secretaria não informa como está usando o dinheiro do povo, tudo muito obscuro na moita, não atende nem mesmo a um pedido de vereador, as informações são truncadas e até parece criptografadas para não se entender como esse dinheiro é usado.



A Câmara Municipal tem uma Comissão para acompanhar esses gastos, mais só está na onda de reunião tipo o PT e sem produtividade, a presidência dessa Comissão nada sabe e não possui assessoria competente para tal.



Assim sendo haja sardinha subindo rio sem ter monde parar.



O RECANTO DA SAUDADE POLITICA



Tem certos momentos que gostaríamos de reviver os velhos tempos da política, com uma Câmara ativa com os pronunciamentos polêmicos de João Leite, Jorge Camargo querendo saber de tudo e exímio critico da administração Gentil Valério, José Mendes calmo pacifico, Francismar Peredo o maquiavélico sempre armando, Ilda Salvático sempre querendo colocar o seu povo com uma portaria, Lucia dom Incra a sorridente de bem com a vida, a explosiva Helia Amorim atuante autentica politica vivem a frente de seu tempo na politica uma mestra sem igual, Santo Toreiro o inegável amigo de todos, Toninho um politico com a marca da maçonaria, Juvenal José foi o primeiro representante dos comerciantes de Ariquemes na política,  Carlos Paixão o briguento, na realidade essa politica que era praticada faz falta.



CUJUBIM E SUA POLITICA



Por entre as barras da justiça e investigação da Policia Federal, candidatos massificados da política cujubiense – Tais como o vereador Alemão que tem processo na justiça e passa por um investigação da polícia federal por possível desvio de recursos da educação, o vereador Djalma julgado e condenado se tornou inelegível, Fábio que já sofreu duas condenações e está preste a encarar outro julgamento e já foi avisado por seu advogado que será muito difícil de inocenta-lo e que já trabalhar para uma pena reduzida.



Esses são os panoramas da politica em Cujubim.



 



 


Sobre o autor

O QUE DA NOTICIA (AOR OLIVEIRA)