POLITICA & POLÍTICOS (CARLOS SPERANÇA)


Agir ou estagnar

personPOLITICA & POLÍTICOS (CARLOS SPERANÇA) date_range06 Abr 2018 - 06h47

Reunir dados monta cenários gerais e dificulta julgamentos definitivos





A lição maravilhosa da integração entre a exuberante Amazônia e o inóspito Saara fica mais completa ao saber que 70 por cento das chuvas daqui são provocadas por partículas de poeira do deserto que chegam voando sobre o Oceano Atlântico.



Reunir dados monta cenários gerais e dificulta julgamentos definitivos. A Noruega, que tanto bem faz à Amazônia, é acusada de proteger a floresta com a mão esquerda e patrocinar o desmatamento com a direita.



A agricultura super desenvolvida é um grande benefício para a humanidade, mas a evolução acelerada também traz conseqüências. Abelhas desaparecem e causam prejuízos à polinização. Várias espécies de pássaros se extinguem rapidamente.



Ninguém fará passeatas com cartazes do tipo “Fora Noruega” ou “proíbam a agricultura”, porque seria maluco e inútil. Trata-se de compreender que tudo se relaciona de algum modo e com isso é possível estudar as relações para corrigir os aspectos negativos.



No mais, é agir ou estagnar. A reforma tributária brasileira se arrasta no Congresso, mas a do Paraguai avançou e atrai capitais fabris brasileiros. O Paraguai acelerou, o Brasil travou. Com isso, até a Zona Franca de Manaus está ameaçada de implosão pelo surto industrial paraguaio.

……………………………………….

O legado



O governador Confúcio Moura (MDB) deixa o governo de Rondônia com um grande legado para o seu vice Daniel Pereira que assume nesta sexta-feira. Nos dois governos, o estado alcançou taxas de crescimento do PIB jamais vistos, como ocorreu na sua primeira gestão com 11 por cento, quando o Brasil em crise, patinava e o desemprego despencava.



Funcionalismo



No que tange ao funcionalismo público mesmo com as paralisações recentes do Sintero e do Idaron, deve ser ressaltado que o governador Confúcio manteve os pagamentos rigorosamente em dia durante os quase oito anos de gestão. Nos últimos meses, diante da crise econômica teve que fazer cortes e administrar a coisa pública com toda cautela, tendo em vista a LRF.



As pressões



Nos bastidores se sabe que o governador de Rondônia sofreu pressões pesadas do senador Valdir Raupp e do presidente da Assembléia Legislativa Maurão de Carvalho para que ficasse no governo e desistisse de disputar uma cadeira ao Senado. Sabe-se que até promessas de Ministério foram feitas, mas Confúcio não recuou. Esta desincompatibilizado.



As acomodações



No frigir dos ovos, nenhuma surpresa com relação ao troca troca partidário. A maioria dos deputados estaduais que trocaram de legenda buscaram condições de elegibilidade, como foram os casos de Hermínio e Anderson (Porto Velho) que ingressaram no PC do B, Rosangela Donadon (Vilhena) que entrou no PDT, Leo Moraes (Porto Velho) no Podemos e assim por diante.



Os bicho papões



Na peleja pelas oito cadeiras a Câmara dos Deputados por Rondônia até os bicho papões como Marinha Raupp (MDB), marcos Rogério (DEM) Mariana Carvalho (PSDB), Mauro Nazif (PSB), Leo Moraes (Podemos), Melki Donadon (PDT) estão preocupados em conseguir boas coligações. Se errarem na escolha vão se dar mal.



Via Direta



*** Mesmo com o ingresso dos deputados estaduais Hermínio Coelho e Anderson do Sitetuperon, a nominata de candidatos a ALE do PC do B ficou bem equilibrada *** Os principais nomes são da capital, Anderson, Hermínio e Elis Regina *** Virou e mexeu e o PDT ficou apenas com três deputados estaduais. Saiu Hermínio e Só na Bença não entrou *** Com isto fica mais fácil do partido atrair mais postulantes para a chapa pedetista *** A família Fogaça agora tem dos candidatos a deputado estadual: Irma Fogaça e Everaldo Fogaça.



Sobre o autor

POLITICA & POLÍTICOS (CARLOS SPERANÇA)

Colunista político do Jornal "DIÁRIO DA AMAZÔNIA", Ex-presidente do SINJOR, Carlos Sperança Neto é colaborador do Quenoticias.com.br. E-mail: csperanca@enter-net.com.br