NOÇÕES DE POLITICA - Humberto Pinho da Silva


COLHER FLORES NO JARDIM PUBLICO

personNOÇÕES DE POLITICA - Humberto Pinho da Silva date_range22 Jun 2018 - 07h53

Finalmente a espessa e pesada cortina cinzenta, rasgou-se; e o azul cristalino do céu, surgiu, iluminado pelo Sol quente e rosáceo. Tudo: árvores, ruas, jardins, tornaram-se, de repente ainda mais coloridos e mais alegres.



Finalmente chegou a Primavera! O tão desejado Verão chegou! …



E quem fica em casa, no quarto sombrio, a ler ou a ver televisão, com tempo tão bonito, e não vai passear pela cidade? Cidade cheia de encanto, como é a nosso Porto?



Após o almoço, desta aprazível tarde de Primavera, quase Verão, resolvi dar uma volta pela baixa.



Volta dos tristes, como se dizia no meu tempo de criança, ao circuito, que incluía: “ Santa Catarina”, “ Santo António” e “ Sá da Bandeira”.



Em “ Santa Catarina” deparei um rio de gente! Rio plácido, onde, em lenta procissão, flutuavam, à tona, cabecinhas embaralhadas: que iam do negro-ébano, ao branco-prateado, da neve, passando por belos nuances de doirados.



Eram as cabeleiras dos transeuntes, que inundavam a rua.



A custo, rompi avalanches sucessivas de multidões. Multidões, portadoras de: malões, maletas e sacolas.



Cansado de turistas de smartphone na mão, e olhos no mapa, prossegui para os lados da Trindade.



Foi ai, que vi, o que nunca pensei ver: jovem, dos seus vinte anos, acompanhada de senhora idosa, colhia, tranquilamente tulipas amarelas, que embelezavam o jardinzinho público! …



O caso não é inédito. Não vai há muito, assisti, pasmado, a grupo de turistas, de nacionalidade desconhecida, a cortar flores nos canteiros que circundam as traseiras da Câmara Municipal!



Fico pasmado, porque sou do tempo em que não se podia calcar a relva, sem correr o risco de se pagar multa pesada.



Se, então, havia rigor exagerado (que servia para educar,) agora há inaudito à-vontade.



Os jardins e as floreiras da cidade, são de todos. Todos podem usufruir a beleza, olhando; mas nunca colher flores! …



Além de atrevimento, representa falta de educação e ausência total de civismo.


Sobre o autor

NOÇÕES DE POLITICA - Humberto Pinho da Silva