RD POLITICA ( WC e redação)


Candidatos votados e votos anulados, Ariquemes ficará sem duas cadeiras na Assembleia Legislativa, Expedito Júnior abraça Bolsonaro presidente

personRD POLITICA ( WC e redação) date_range10 Out 2018 - 06h50

Excluídos – Alguns candidatos não conseguiram regularizar a situação perante a Justiça Eleitoral, mas mesmo assim receberam votos dos eleitores em Rondônia. Na disputa pelo governo do Estado, Acir Gurgacz (PDT) obteve 35.094 votos. Bosco da Federal (PPS), 15.584 votos candidato ao Senado. Para a Câmara Federal dois nomes conhecidos também não tiveram os votos computados: Padre Ton (PT), 21.888 votos e Melki Donadon (PDT), 10.252 votos. Fátima Cleide (PT) somou 104.048 votos.



Reeleição – A maior dificuldade de um político é conseguir se reeleger. A cobrança é maior, a rejeição já faz parte do contexto, porque ninguém consegue ser 100% em nada na vida. Deputados como Aélcio da TV (PP-PVH), Eurípedes Lebrão, Jean Oliveira (MDB-PVH), Alex Redano (PRB-Ariquemes), Adelino Follador (DEM-Ariquemes), Laerte Gomes (PSDB/Ji-Paraná), Rosângela Donadon (PDT-Vilhena), Lazinho da Fetagro (PT-Jaru), Luizinho Goebel (PV-Vilhena), Edson Martins (MDB-Urupá), Anderson do Singeperon (Pros-PVH) e Dr. Neidson (PMN-Guajará) realmente são bons de voto.



Ministro – Um político de Rondônia, que não conseguiu se reeleger deverá ser ministro se o candidato a presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL) se eleger, nas eleições de segundo turno, que serão realizadas no próximo dia 28. Com larga experiência na política regional e nacional, em cargos majoritários e proporcionais, o provável ministro deverá suar a camisa na busca dos votos, que não teve para eleger Bolsonaro presidente no primeiro turno.



Deputados – O município de Ariquemes, que tem quatro deputados estaduais, perdendo apenas para Porto Velho, que tem sete deputados, a partir de fevereiro do próximo ano terá dois deputados a menos, porque só foram reeleitos dois (Adelino Follador-DEM e Alex Redano-PRB) e não foi eleito nenhum nome novo. Ariquemes só perde, hoje, para Porto Velho, que tem sete deputados. O município e a região serão prejudicados com a não reeleição de Saulo Moreira (MDB), que estava entre os favoritos (10.911 votos), mas não se reelegeu.



Bolsonaro – Muitas críticas ao candidato a governador de Rondônia, Expedito Júnior “Esperança por um Tempo Novo” (PSDB/DEM/PSD/PRB/Patriotas), que decidiu apoiar Jair Bolsonaro (PSL) a presidência da República. O PSDB, partido de Expedito decidiu apoiar em vários Estados, como em Minas Gerais apoiar Bolsonaro no primeiro turno e no Acre onde o MDB teve o mesmo procedimento. O candidato a presidente, adversário de Bolsonaro não é do PSDB e Expedito e seu grupo é quem devem decidir a quem apoiar a presidente da República em Rondônia. Por que não Bolsonaro?



Respigo



O deputado estadual mais bem votado do Estado, Eurípedes Lebrão (MDB-São Francisco) estará amanhã no programa Conexão Rondoniaovivo do site/TV Rondoniaovivo para ser sabatino pela equipe de jornalismo do site/TV. Lebrão é o atual 1º secretário da Assembleia Legislativa (Ale) e na segunda reeleição superou os 20 mil votos +++ No próximo sábado (13) o Instituto Phoenix estará publicando a primeira pesquisa sobre as eleições a governador do próximo dia 28. O pedido já está registrado na Justiça Eleitoral, segundo o proprietário do Phoenix, Juvenil Coelho +++ Muita chuva na tarde de hoje (9) em Porto Velho. Por volta das 15h o tempo fechou, escureceu, trovejou, ventou e choveu com intensidade e muitas ruas e avenidas da capital ficaram alagadas, o que não é novidade.



Autor / Fonte: Waldir Costa / Rondônia Dinâmica


Sobre o autor

RD POLITICA ( WC e redação)