RD POLITICA ( WC e redação)


Convenção nada democrática do MDB, Acir confirmado candidato na convenção do PDT/PSB, Alexis Palitot cotado para vice

personRD POLITICA ( WC e redação) date_range30 Jul 2018 - 15h30

MDB – O que deveria ser a festa da democracia, a convenção do MDB, realizada no último sábado (28), na sede do partido em Porto Velho acabou em troca de socos, quebradeira e agressões. Tudo provocado por pessoas que nada tinham a ver com a convenção, que devido a interesses de grupos do partido, como também ocorre nas demais siglas consideradas grandes tinha clima tenso. Confúcio Moura, ex-governador pressionava para disputar uma das duas vagas ao Senado e a cúpula não aceitava, porque já tem o senador Valdir Raupp, candidato à reeleição e precisava da outra vaga para negociar um vice do candidato do partido ao governo, Maurão de Carvalho, presidente da Assembleia Legislativa (Ale).



MDB II – O clima era realmente tenso e a maioria das pessoas que falou, antes do quebra-quebra demonstrava isso. Mas é normal, porque os interesses são enormes e eleição não tem volta, perdeu, somente na próxima. O MDB tem dificuldades para coligar, justamente em razão das duas vagas ao Senado ser ocupada por militantes da sigla. O partido só tem a oferecer ao parceiro ou parceiros a vaga de vice de Maurão, que é o candidato à sucessão do governador Daniel Pereira (PSB), como ficou decidido na convenção.



MDB III – Como as duas vagas ao Senado têm candidatos do MDB (Raupp e Confúcio), ficará muito difícil conseguir parceiros tendo somente o cargo de vice a oferecer e, ainda, ter uma nominata a estadual e federal com nomes fortes. Eleição é uma questão estratégica, onde as contas são feitas, apenas com soma e multiplicação, jamais divisão. Ficará muito difícil para os simpatizantes de Raupp e Confúcio pedirem votos em parceria. É bom lembrar que a ex-senadora Fátima Cleide (PT) está na disputa de uma das vagas. Em 2002 ela superou Raupp, que se elegeu em segundo, porque eram duas vagas e Expedito Júnior, favorito, ficou de fora. Prudência e caldo de galinha...



PDT – Já a convenção do PDT realizada no domingo (29), também em Porto Velho, reuniu muita gente, da capital, do interior e foi realmente uma festa democrática. O nome do senador Acir Gurgacz foi confirmado como candidato da coligação, que tem vários partidos e com perspectiva de ampliar o círculo partidário. A exemplo da convenção do MDB, o PDT, ainda, não tem o candidato a vice-governador. O cargo de vice é o maior problema da maioria dos candidatos a governador.



PDT II – Nome muito comentado na convenção do PDT foi do vereador de Porto Velho, professor Alex Palitot (PTB), o mais bem votado nas eleições de 2016 (4039 votos), que poderá ser o vice de Acir. Como o PTB está coligado com o PDT, caso o nome do professor Palitot seja confirmado, Acir estará muito bem representado na capital e um aliado de ponta para a disputa eleitoral de outubro próximo, no maior colégio eleitoral do Estado, superior a 320 mil votos.



Respigo



A ex-primeira dama do Estado, Ivone Cassol deverá disputar o cargo da 1ª suplência do pré-candidato ao Senado pelo PP, Carlos Magno. Ivone é esposa do ex-governador, hoje senador-licenciado, Ivo Cassol, que governou o Estado durante dois mandatos seguidos +++ Confirmado como candidato do MDB a governador, na tumultuada convenção do partido do último sábado na capital, o presidente da Assembleia Legislativa (Ale), Maurão de Carvalho acelera os entendimentos para encontrar um vice. Vários nomes estão sendo apontados, mas Maurão tem os mesmos problemas dos colegas, que estarão disputando a sucessão do governador Daniel Pereira (PSB) +++ A dificuldade para encontrar um vice com credibilidade e densidade eleitoral, que a empreitada precisa é enorme. A preferência é por nome da capital, pois Maurão, por exemplo, tem domicílio eleitoral em Ministro Andreazza, município onde ele foi o primeiro prefeito.



Autor / Fonte: Waldir Costa / Rondônia Dinâmica


Sobre o autor

RD POLITICA ( WC e redação)