O ESPECTADOR - POR VINICIUS CANOVA


Daniel pode ser primeiro governador de Rondônia a desistir da reeleição; a Barganha Faustiana na política do Estado – e Regina Pacis processa mãe de Nicolas Naitz

personO ESPECTADOR - POR VINICIUS CANOVA date_range25 Jul 2018 - 15h34

Veja também: Confúcio continua engessado pelo MDB



O pacto com o Diabo



Dependendo do ponto de vista, o senador licenciado de Rondônia Ivo Cassol (PP) pode ser Fausto ou Mefistófeles; seu algoz na política Acir Gurgacz (PDT), idem. Mas o que importa para os eleitores é: PDT e PP estão prestes a fechar uma Barganha Faustiana rubricada à sangue e ódio. Uma surpresa para muita gente que recusa a acreditar no vale-tudo eletivo tupiniquim.



Relação mutualista



A motivação leva em conta interesses mútuos. Para o ex-governador, por exemplo, seria mais fácil eleger sua irmã Jaqueline Cassol (PR) deputada federal numa chapa formada com pedetistas. Isso porque, se abraçasse Expedito Júnior (PSDB) e aliados, correria o risco de vê-la sucumbir ante a popularidade de Mariana Carvalho e outros expoentes partidários ligados ao tucano, como o próprio Expedito Netto (SD). Gurgacz, por outro lado, receberia o apoio de boa parte da horda passional que acompanha o rastro do inimigo congressista e, de quebra, uma leva enorme de cabos eleitorais.



Fator Carlos Magno



E ainda há o fator Carlos Magno, progressista pré-candidato ao Senado Federal e homem de primeira hora de Cassol. Com Marcos Rogério recebendo a benção do grupo de Expedito para concorrer ao cargo desejado por Magno, não sobrou espaços na patota e restou a Ivo socorrer-se debaixo das asas partidárias do desafeto.



Xirrim Xirrion!





Daniel jogou a toalha?



O governador Daniel Pereira (PSB) disse ao site Mappingrondonia que não se sente motivado a disputar a reeleição ao Palácio Rio Madeira. “Não estou com tesão de ser candidato a governador”. Soando como uma verdadeira avó mediadora de conflitos, Pereira afirmou que aproximou Gurgacz de outros correligionários, a exemplo de Dr. Mauro Nazif e do pré-candidato ao Senado Jesualdo Pires.





Nem "azulzinho" nas mãos dá tesão a Daniel Pereira / Foto: Ésio Mendes-Decom/RO



Inédito



Se seguir o que diz, Daniel será o primeiro governador de Rondônia com chances de concorrer à reeleição a desistir da oportunidade antes do pleito mesmo com a máquina administrativa nas mãos, usada em excesso por chefes do Executivo em todos os rincões do País como atiçadora de libido eleitoral. O mandatário rondoniense, no entanto, brochou para as urnas apesar do uso contínuo do “azulzinho” (leia-se: Palácio Rio Madeira, tolo!).



Regina Pacis processa mãe de Nicolas Naitz



Em abril deste ano, o hospital Regina Pacis ingressou à Justiça de Rondônia com ação de indenização por danos morais contra Marciele Naitz Sampaio Pereira, mãe do bebê Nicolas Naitz, desaparecido há mais de quatro anos. A instituição privada de saúde pede R$ 20 mil a Marciele por supostos danos morais sofridos por conta de publicações críticas feitas no Facebook.



Leia também

Caso Nicolas Naitz: a linha de investigação que – quase – ficou para trás



“Lucro à custa do suor alheio”



Na parte mais forte da petição inicial, o hospital mencionou que em outro processo onde a família pleiteia reparações tanto do Estado de Rondônia quanto de outros réus,  “[os familiares de Nicolas Naitz] aproveitando-se do infortúnio que se abateu sobre suas vidas, tentam obter lucro a [sic] custa do suor alheio, esquecendo que só o trabalho honesto dever ser fonte de riqueza”.



Leia a petição na íntegra aqui



Decisão



No começo deste mês, o Juízo da 9ª Vara Cível de Porto Velho concedeu antecipação de tutela em favor do Regina Pacis “para determinar que a requerida exclua de suas páginas nas redes sociais, em até 3 horas, contadas da citação/intimação, toda e qualquer postagem que faça referência ao autor, mesmo que de forma indireta, sob pena de multa de R$10.000,00 (dez mil reais) por menção”.



Clique aqui e veja a íntegra da decisão



Sermão



Antes disso, o juiz (ou a juíza, não há assinatura na decisão), disse: “Internet não é terra de ninguém. As regras de convívio do mundo real também valem para o virtual, até porque as consequências do que ali se afirma tem repercussão bastante concreta na vida das pessoas, quer naturais ou jurídicas. Prova do afirmado se constata pelas centenas de comentários e reações que se seguiram à postagem da requerida [Marciele Naitz]. E concluiu: “Portanto, ao menos em juízo de prelibação, tenho que o agir da requerida é abusivo, leviano e potencialmente danoso a imagem do autor [Regina Pacis]”.



Confúcio engessado



O ex-governador Confúcio Moura continua engessado em suas pretensões pela própria legenda, o MDB. Após choramingar via blog, conclamando união à legenda, nada mudou. Ele continua refém das decisões de caciques como o próprio senador Valdir Raupp e Tomás Correia, ambos ofendidos por Confúcio em áudios vazados onde o pré-candidato ao Senado os chama de golpistas. Raupp, inclusive, foi denominado por Moura como bandido e descarado.



Choro ecoa mais alto



Óbvio que o chororô de Confúcio foi parar às raias da Executiva Nacional emedebista, porém, para o azar do ex-mandatário, assim como aqui, lá também não dá as cartas. Se algo muito drástico não ocorrer daqui às convenções, Moura deverá se contentar em concorrer à Câmara dos Deputados, ambiente familiar para quem nos representou por lá em três oportunidades (1994, 1998 e 2002).



Contato



Estamos à disposição através do e-mail viniciuscanova89@gmail.com. Lembre-se: “O Espectador” é veiculada originalmente no Rondônia Dinâmica, mas a reprodução está autorizada desde que citada a fonte.



Autor / Fonte: Vinicius Canova / O Espectador


Sobre o autor

O ESPECTADOR - POR VINICIUS CANOVA

JORNALISTA COLABORADOR DO WWW.QUENOTICIAS.COM.BR