O CONTRAPONTO


IRÃ ,COREIA DO NORTE, CUBA E VENEZULA SENTAM NO “COLO” DOS RUSSOS E CHINESES

personO CONTRAPONTO date_range11 Jan 2020 - 13h56 location_onAdvogado, sociólogo, pósgraduado em Sociologia PU

Se alguma dúvida ainda persistisse no ar sobre os FUNDAMENTOS MORAIS que sustentam o PODER POLÍTICO na Rússia e na China, essa mesma dúvida desapareceria   no  exato  momento em que se desvendasse   os perfis morais, políticos, sociais e econômicos dos  4 (quatro) países que são os seus “protegidos” e“assistidos”, tornando-se em consequência   ”anexos” dessas duas grandes potências mundiais,seus “espelhos”,  com “soberanias” somente aparentes, em troca de “proteção”, inclusive bélica.                                                                                                     



São essas,portanto,nações muito “covardes”.



Não tivessem sido protegidos  até agora pela Rússia e pela China,com certeza esses quatro países  “nanicos” já teriam sofrido “intervenções”,internas, a partir dos seus próprios povos,as maiores vítimas dos regimes  de terror e abolição completa das liberdades civis  implementadas  nessas “tiranias”.



Tudo isso significa dizer que o regime de terror,opressão e repressão, contra os seus povos , que corre solto no Irã ,Coreia do Norte ,Cuba e Venezuela, além de diversos  outros países que não “aparecem” tanto, tem PATROCÍNIO INDIRETO da Rússia e da China, que sempre insinuam com ameaças “bélicas” os diversos  países solidários que ofereçam  qualquer tipo  de ajuda humanitária aos sofridos povos dessas tiranias ,“guarnecidas”,imoralmente, pelas duas grandes potências mundiais.



Gilberto Freyre,em “Casa-Grande &Senzala”,”desenhou” com perfeição,em termos de sociologia brasileira,na época do “patriarcado”,a opressão e o terror cometidos pelos patriarcas das “Casas-Grandes” contra os seus escravos ,da “Senzala”,mas  que nunca faziam isso “diretamente”,”pessoalmente”,porém através de  prepostos, geralmente os chamados “capatazes” ,para fazê-lo, e  assim “justiçar” os escravos faltosos.                                  



O “patrão” acabava se passando  por “bonzinho”,”lavando as suas mãos”, relativamente à  punição e maus tratos  dos escravos. O “demônio justiceiro” estava na pessoa do “capataz”, que fazia o serviço “sujo”, sob as ordens do patriarca.



Essa relação (des) humana desenhada na “Casa- Grande & Senzala”,por Gilberto Freyre, pode ser transferida sem medo de erro para as relações entre a Rússia e  China (os “coroné”,donos  da Casa Grande),os  seus 4  (quatro) países “capachos”, no caso, “os capatazes”, com  os respectivos povos desses países assumindo o papel dos “escravos” ,maltratados , indiretamente pelos “coroné”, Rússia e China,que dão  as ordens, e diretamente pelos “capatazes”, representados pelos tiranos que governam cada  um desses países, e que as executavam com canina fidelidade.



Sérgio Alves de Oliveira



Advogado e Sociólogo


Sobre o autor

O CONTRAPONTO

Sérgio Alves de Oliveira