POLITICA & POLÍTICOS (CARLOS SPERANÇA)


Jambu ou Yoga? + Projeto de Hildon andando + O cassolismo + O epicentro do coronavirus

personPOLITICA & POLÍTICOS (CARLOS SPERANÇA) date_range25 Jun 2020 - 07h41

Jambu ou Yoga?



Para conquistar a confiança e o respeito da população e dos investidores estrangeiros, um governo não pode estar a serviço de uma seita, partido, confissão religiosa, clã familiar ou só dos eleitores da chapa eleita. Seu dever é governar para todos.



Os ataques entre seitas polarizadas semeiam a desconfiança como um vírus semeia doença. Nesse contexto, irrompeu uma guerra absurda entre adeptos da cloroquina como solução milagrosa para a Covid-19 e os seus opositores, nenhum lado baseado em conclusões definitivas da ciência a respeito. O resultado dessa guerra é a desconfiança geral da população.



Na Amazônia, a veloz disseminação da doença e a desconfiança na guerra contra ou a favor da cloroquina deixou as comunidades humildes na incerteza. Como de costume, os mais pobres se valem da sabedoria da floresta e dos antepassados, o que explica o sucesso do chá de jambu, planta facilmente encontrável que as famílias usam para várias aplicações.



Não se sabe até que ponto o jambu previne ou combate a tinhosa doença, mas essa escolha não é absurdo maior que o líder indiano, Narendra Modi, recomendar Yoga para combater o coronavírus. Em caso de polarização, a saída é unir o país em torno de um pacto contemplando as obrigações de Estado, que são cláusulas pétreas, e o consenso em torno de metas mínimas de governabilidade. Sem isso, a confiança se inverte ou se perde.



.................................................................



Projeto andando



Pelo que circula nos bastidores não existem dúvidas: o prefeito Hildon Chaves (PSDB) já está tocando seu projeto de reeleição e sua campanha já começa a ganhar adesões importantes. Quatro importantes partidos integram o eixo central da aliança do postulante tucano: PSDB/Republicanos/PSD/ PL e disputam a indicação de vice na chapa do alcaide tucano: Tesari dos Expeditos, Lindomar Garçom e o presidente da Federação das Indústrias Marcelo Tomé.



O cassolismo



Corrente forte na política rondoniense, o cassolismo está rachado em Porto Velho. De um lado apoia a reeleição do prefeito Hildon Chaves, através do PL liderado no estado pelo ex-deputado federal Luís Claudio. De outro lado ameaça lançar a candidatura da vereadora Cristiane do PP de Jaqueline Cassol e Aécio da TV. Fala-se  ainda que ela (Cristiane) poderia também compor na vice de Hildon Chaves depois de uma “reconciliação”.



A interiorização



É preocupante a interiorização da pandemia do coronavírus em Rondônia que em março tinha uma proporção de quase 70 por cento dos casos em Porto Velho. Atualmente cidades como Guajará Mirim, Ariquemes, São Miguel do Guaporé e Candeias do Jamari padecem com uma escalada da peste e polos regionais importantes há 30 dias com poucos casos já ligam o sinal de alerta como Ji-Paraná, Cacoal e Vilhena.



Mais firme



Foram dois governadores bolsonaristas com estratégias diferentes nestas bandas com relação ao coronavírus. Cameli foi mais firme no Acre, mas conseguirá deter a escalada? Em Rondônia, o governador Marcos Rocha vê a coisa crescer assustadoramente e já deve ter noites insones pelas consequências da abertura do comércio nos próximos 15 dias. Lembrando que o Acre há 30 dias atrás tinha mais incidência do covid 19 do que Rondônia. O vizinho acertou a mão e espichou a quarentena.



Novo epicentro



O epicentro do coronavírus na Amazônia começou em Manaus, cuja escalada agora é decrescente, passou por Belém que já atingiu o pico e como Rio Branco está conseguindo controlar a peste, são candidatos ao novo epicentro da doença nossa amada Porto Velho, Macapá e Boa Vista. Porto Velho e Boa Vista com forte influência e  enorme intercâmbio  com a contaminada Manaus, e Macapá  umbilicalmente ligada com Belém, outro grande centro da pandemia na região norte.



Via Direta



 



*** Depois do PSL rachar, com um agrupamento apoiando a base do presidente Jair Bolsonaro e outro contra, foi a vez do Novo, cuja legenda também se dividiu com uma ala se afastando do Palácio do Planalto *** A recente posse do novo diretor do DER pacificou alguns  deputados estaduais insurgentes na Assembleia Legislativa de Rondônia que estavam com a machadinha de guerra erguida contra o CPA *** Chegaram as queimadas e estão desembarcando em Rondônia as gripes virais. Tudo somado com o coronavírus em nova escalada *** Tempos difíceis para a saúde dos rondonienses *** Dos 21 vereadores da capital rondoniense pelo menos 10 já estão fechados no apoio do projeto de reeleição do prefeito Hildon Chaves.


Sobre o autor

POLITICA & POLÍTICOS (CARLOS SPERANÇA)

Colunista político do Jornal "DIÁRIO DA AMAZÔNIA", Ex-presidente do SINJOR, Carlos Sperança Neto é colaborador do Quenoticias.com.br. E-mail: csperanca@enter-net.com.br