OPINIÃO DE PRIMEIRA (SERGIO PIRES)


NÃO ACREDITE QUANDO OS POLÍTICOS DIZEM QUE A EDUCAÇÃO É PRIORIDADE NO BRASIL!

personOPINIÃO DE PRIMEIRA (SERGIO PIRES) date_range27 Out 2017 - 07h45



Onde está a realidade, nos discursos que se ouve todos os dias de que a educação é prioridade no Brasil? Já perdemos pelo menos uma geração inteira de semialfabetizados; temos ainda 13 milhões de analfabetos e esse número não diminui há anos; nossas crianças de oito anos não conseguem aprender praticamente nada e apenas 15% delas, num universo de 2 milhões que foram testadas, aprenderam alguma coisa de Matemática ou para compreender uma simples frase escrita. Esses são os números reais e a região norte é uma em que os resultados são mais pífios. O que se vê, na verdade, é um sistema de ensino muito ruim; com muitos professores preocupados com ensinar ideologia de gênero e outros temas extracurriculares, do que ensinar o velho beabá; a velha tabuada, essências para aprender a fazer contas ou, ainda, ensinar corretamente o Português, porque, pelas novas teorias, “o importante é se fazer entender”. Como se a meta fosse a ignorância generalizada que aliena e não o aprendizado que enriquece. As universidades já estão aparelhadas, tanto dentro como fora das salas de aula e a meritocracia foi jogada no lixo. Restava ainda uma pequena esperança no ensino básico, onde pudéssemos começar a preparar as crianças para serem ao menos melhor alfabetizadas; terem mais conhecimento; quem sabe chegarem a patamares próximos à qualidade do ensino dos países mais desenvolvidos. Ao contrário de tudo isso, nossa realidade se enterra em números negativos assustadores e perspectivas zero de que as coisas mudem radicalmente para melhor.



Não saber escrever o que  normalmente uma criança de oito anos saberia; não compreender a essência de uma frase e muito menos interpretá-la; desconhecer cálculos simples de Matemática; terminar o ciclo da alfabetização quase como analfabetas. Esses são os resultados  de um estudo que envolveu brasileirinhos de todas as regiões do país. Na média, menos de 20 por cento conseguiram resultados razoáveis. Nas regiões norte e nordeste, os números foram ainda piores. Há necessidade de se fazer, agora, uma revolução dentro das salas de aula. Temos que voltar a ensinar as crianças de verdade. Discutir gênero; sexo; homossexualidade com crianças de seis a anos pode, mas ensiná-las de verdade, isso parece ser um pecado mortal. O Brasil está criando a segunda geração de semianalfabetos, ressalvadas as exceções de sempre. Portanto, nunca mais acredite quando ouvir algum governante ou político dizer que a educação é prioridade neste país! 



O ABANDONO NO MEIO DA VIOLÊNCIA



É deixar qualquer cidadão entristecido e, mais que isso, indignado. Reportagem da SICTV/Record dias atrás, mostrou a triste situação de absoluto abandono que vive a segurança pública em Buritis, uma das cidades mais violentas do país. A situação lá é de tal pânico em relação à violência, que a pequena Buritis, com menos de 40 mil habitante, tem as piores estatísticas do Estado e é considerada a 15ª cidade mais violenta do país, proporcionalmente. A delegacia da cidade é um abandono só. O prédio está caindo aos pedaços; não tem água potável; o banheiro é puro esgoto, como o que corre a céu aberto na cidade; há apenas um funcionário para registrar até 30 ocorrências por dia. A criminalidade cresce assustadora também na zona rural, onde faltam policiais da PM também para o trabalho preventivo. Uma obra da nova delegacia, uma daquelas Unisp que o atual governo está construindo em várias cidades, ficou pela metade, com o mato tomando conta. Num dos únicos estados do país que têm dinheiro; em que o governo está no azul e com seus cofres cheios (só para obras no ano que vem estão guardados nada menos do que 200 milhões de reais), é inadmissível que Buritis esteja vivendo todo esse abandono. 



ONDE ESTAVAM OS PAIS?



Reta final para as  obras do viaduto da Três e Meio, sobre a BR 364, em Porto Velho, graças ao Dnit. O custo foi orçado inicialmente em 70 milhões, mas acabará custado 85 milhões, pelas correções inflacionárias e outros pequenos custos que surgem em toda a obra dessa grandeza. Quando pronto, por ele passará em torno de 25 mil veículos por dia, organizando de vez a ligação da cidade com a populosa zona sul, que tem um crescimento cada vez mais acentuado e que terá um acesso muito melhor, a partir de meados do mês que vem. Enquanto os trabalhos continuam céleres e os operários dão duro para concluir tudo em breve, Dnit e Prefeitura ficam numa briga de beleza, sobre quem merece os méritos pela obra. Quando ela ficou parada durante anos, claro que não tinha pai nem mãe.. Agora que está quase pronta, claro, todos querem ter o mérito. A obra é do Dnit, é ele que está fazendo tudo e o prefeito Hildon  Chaves entrou só como coadjuvante, no final, dizendo que lutou em Brasília para conseguir junto a bancada federal os recursos para concluí-la. E daí? O que interesse quem ganha essa briga de Miss? O importante é que, tantos anos depois, o viaduto está prestes a ser entregue à comunidade. O resto, todo, é luta de egos, que não interessa a ninguém... 



TIRANDO NOSSO SANGUE



Claro que o consumidor será mais uma vez sacaneado, nesse país onde a incompetência dos governos, com sua obesidade mórbida incontrolável, ao invés de diminuir, só aumenta. Agora, sob o argumento de que a seca no país prejudica a geração de energia, os valores das canalhas “bandeiras” (outra criativa invenção oficial para nos roubar!), a Eletrobras vai impor um violento reajuste nas tarifas para os consumidores. Vai tentar aproveitar os bilhões de dinheiro extra que receberá para cobrir seus furos, deixados por uma política populista e irresponsável dos governos recentes, que não só destruíram muitas estatais, como toda a economia do país. Como ninguém vai preso, como no Brasil é moleza praticar todo o tipo de atentado contra a população, que não há reação, o caminho mais fácil é impor então novas e pornográficas tarifas, para que paguemos pela absurda situação criada por eles mesmos, os incompetentes. Vão nos sugar até a última gota de sangue ou um dia vamos criar vergonha na cara e começar a reagir contra esse banditismo oficial? 



FALTOU TEMER E FALTOU INTERNET



O presidente Michel Temer não irá ao encontro dos governadores, em Rio branco, que começou ontem e encerra no final da sexta. Durante a semana, Temer foi internado às pressas do Hospital Militar de Brasília, com obstrução no canal da uretra, enquanto a Câmara votava a segunda denúncia contra ela. Medicado, mas ainda sob muitos cuidados, porque o caso pode até exigir cirurgia, o Presidente foi proibido pelos médicos de viajar, porque necessita de repouso absoluto. Enquanto isso, no Fórum de Governadores, a questão das fronteiras escancaradas ao crime estão em debate. O problema mais sério aconteceu nesta quinta, quando o Acre ficou isolado do resto do país, por um apagão total no sistema de telefonia celular. Na abertura do evento, a queixa era geral contra a falta de comunicação, também via internet, o que causou constrangimento ao Governo do Acre, mesmo que a culpa, obviamente, seja do sistema, que sumiu por várias horas. O rompimento de cabos de fibra ótica utilizado por todas as operadoras causou o apagão. A ausência do Presidente foi outro fator lamentado no evento. 



GUERRA ANTIDEMOCRÁTICA



A guerra ideológica, de palavreado chulo, ofensas trocadas, ideologias exacerbadas pelas redes sociais, se amplia cada vez mais. Não há democracia alguma no Facebook, por exemplo. Cada postagem é uma declaração de guerra a quem pensa diferente; uma barrida que impede a entrada do debate democrático; da aceitação da pluralidade de pensamentos; de ideias antagônicas. No caso da segunda denúncia contra o presidente Temer, com o resultado que todo o país já conhecia muito antes da votação na Câmara começar, a agressiva dos textos de prós e contras elevou o nível dos ataques nas redes sociais quase a um ataque um contra ataque com armas nucleares. Ninguém aceita mais o debate correto, de alto nível, normal em qualquer sistema democrático e onde pessoas educadas e respeitosas. O que importa é a maior ofensa, a maior agressão, a maior ameaça, a total falta de sentimento de aceitação a quem não pensa igual. As ofensas geridas contra os parlamentares que votaram pró Temer, como se eles fossem obrigados a seguir o que quer a minoria, são alguma coisa de se assustar com quem se preocupa realmente com o futuro do Brasil. Estamos, mesmo, andando para trás em todos os quesitos e o perigo contra a democracia só cresce. Terrível! 



ENTRA POR UMA PORTA, SAI...



Todos os dias, a Polícia Militar prende pelo menos dois foragidos das prisões de Rondônia e principalmente dos presídios da Capital. Há dias em que o número de em que a PM pegou o mesmo foragido cinco vezes. Ele entra na cela de manhã e foge à tarde; entra num dia, sai no outro; fica dois dias presos e some de novo. No presídio de Ariquemes, já apelidado de hotel de alta rotatividade, as fugas são constantes. O sistema de policiamento, que já é deficiente, tem que deslocar pessoal e estrutura, todos os dias, em inúmeras cidades do Estado, para buscar foragidos. Apenas uma guarnição da policia militar, em Porto Velho, já recapturou nada menos do que 133 detentos, apenas neste ano. O que está acontecendo? Onde está a vigilância dos presídios? Os agentes penitenciários estão cumprindo corretamente seu papel? Se não estão, por que? A Secretaria de Segurança Pública e o Ministério Público não podem agir em conjunto, para descobrir o que está acontecendo e informar corretamente a sociedade, até para preveni-la dos perigos que corre com tantos criminosos foragidos? Espera-se respostas urgentes das autoridades, para tantos perguntas...



 



PERGUNTINHA



Com apoio tão frágil no Congresso, o Governo poderá ainda fazer alguma reforma que realmente mude a realidade do país e nos prepare para o futuro?



 


Sobre o autor

OPINIÃO DE PRIMEIRA (SERGIO PIRES)

Colaborador do www.quenoticias.com.br: Sérgio Pires, experiente jornalista e que escreve a coluna OPINIÃO DE PRIMEIRA no jornal Estadão do Norte. Atua também na TV Candelária, onde apresenta aos sábados o programa Candelária em Debate e diariamente o "PAPO DE REDAÇÃO" na rádio Parecis FM. Contato através e-mail: ibanezpvh@yahoo.com.br / celular: 81 24 24 24