OPINIÃO DE PRIMEIRA (SERGIO PIRES)


O STF se portando como o 34º partido político + Sem diminuir números, nova fase não sai + Um dinossauro inesquecível

personOPINIÃO DE PRIMEIRA (SERGIO PIRES) date_range29 Mai 2020 - 10h03

O STF se portando como o 34º partido político + Sem diminuir números, nova fase não sai + Um dinossauro inesquecível - Gente de Opinião



SERÁ QUE O STF, SE PORTANDO COMO O 34º PARTIDO POLÍTICO DO PAÍS, NOS EMPURRA PARA UM PRECIPÍCIO INSTITUCIONAL?



É ilegal? Não é. É imoral? É! É inconstitucional? É! O que andam fazendo alguns ministros do Supremo Tribunal Federal tem merecido imensas contestações de boa parte da sociedade brasileira. Sem mesmo passar pelo Ministério Público, que tem o dever constitucional de denunciar, há ministros, como Alexandre de Moraes, que se autonomeia relator de processo, acusa, como se o MP fosse e, mais que isso, ainda vai julgar e, é claro, muito antes do julgamento já se sabe qual será a decisão dele em relação aos possíveis réus.  Há poucos dias, numa decisão surpreendente para muitos, outro ministro, Celso de Mello, que se aposenta em breve (graças aos céus, comemoram os que o consideram muito mais midiático que jurista), decidiu divulgar uma reunião interna da Presidência com seus ministros, causando um clima de tensão no país, sem qualquer necessidade. Em algumas decisões, o STF tem se tornado o 34º partido político oficializado no Brasil.  Deveria entrar na fila das outras 77 siglas, que estão esperando registro na Justiça Eleitoral. Aliás, é muito bom lembrar também que essa balbúrdia de siglas políticas, a grande maioria balcões de negócios, foi criada pelo próprio STF, ao acabar com a cláusula de barreira. Mas daí, já é outra história. A verdade é que há ministros do principal tribunal do país, que estão perdendo o rumo, trocando sua sagrada missão de defender irrestritamente a Constituição, por bate bocas na planície. Mas, pior de tudo, se transformando num braço legislativo e opositor a um governo legitimamente eleito.  



O que fez o ministro Alexandre de Moraes, como se o Califa fosse; numa tentativa clara de censura, como se o Imperador fosse, mandando a PF invadir, ao amanhecer, a casas de pessoas suspeitas de terem criado Fake News e outras que apenas emitiram suas opiniões, esculhambando com ele e seus colegas de toga, foi um acinte. Um ataque à liberdade de expressão. Uma demonstração de força do tipo: aqui quem manda sou eu.  Puro abuso de autoridade? Foi antes de tudo uma covardia, porque ele queria agredir era o Palácio do Planalto e, sem coragem para isso, assacou contra a liberdade e o direito de dezenas de pessoas. Todas, por coincidência, apoiadoras do atual governo. Nenhuma delas da oposição. Alexandre Padilha talvez esteja no lugar errado. Deveria estar é, eleito, na tribuna do Congresso, defendendo os amigos que o colocaram no STF e vociferando contra os adversários que os escorraçaram nas urnas. Do jeito que as coisas estão indo, o STF caminha para promover uma ruptura institucional no país? Com todos os seus poderes, o Supremo deveria, nessa hora, estar ao lado da Nação. Não está. Preocupados consigo mesmos e em defesa dos discursos da oposição, parte dos ministros do Supremo pode estar jogando o país num precipício institucional. As togas, dessa vez, não estão nos dando orgulho. Estão é nos dando medo.



QUANDO SERÁ O DIA DE REABRIR PORTAS?



Abre ou não abre? Não abre! Pelo decreto de calamidade pública, o 28 de maio marcaria a reabertura de vários setores do comércio, incluindo parte importante do Porto Velho Shopping., que, aliás, está com tudo preparado, incluindo inúmeras medidas de segurança contra o corona, para reabrir suas portas. Mesmo com mais de 25 entidades que representam o setor produtivo do Estado, que formam o grupo “Pensar Rondônia”, pedirem em  nota que a nova fase do decreto do governador Marcos Rocha, seja mesmo concretizada a partir desta sexta, isso não vai acontecer.  No texto das entidades empresariais, as lideranças pedem que tanto os empresários como a população participe ativamente, colabore e contribua para o controle da Covid 19, usando máscaras, álcool gel e mantendo distância de segurança.  O decreto foi assinado há duas semanas, na expectativa de que os piores índices da doença, começassem a diminuir. Não  foi o que aconteceu, Há duas semanas, tínhamos menos da metade de casos de hoje e muito menos mortes. No início da noite, numa reunião entre representantes do governo e empresários, no Palácio Rio Madeira/CPA, o assunto foi discutido. A ampliação da abertura ficou para dias futuros.



SEM DIMINUIR NÚMEROS, NOVA FASE NÃO SAI



A decisão de não abrir foi confirmada pelo secretário da saúde,  Fernando Máximo. Segundo ele comentou em coletiva à imprensa nessa quinta,  Porto Velho, ainda está montando estrutura para o enfrentamento da Covid-19. "O número de casos confirmados de Covid-19 infelizmente vem aumentando muito rápido. A taxa de internação em UTI também é muito alta, por tanto, ainda não há possibilidade de mudar de fase. Mas a expectativa é que com a criação de novos leitos, conforme estão previstos para os próximos dias, se houver uma redução na taxa de ocupação de leitos de UTI, a Capital pode mudar de fase, assim como os demais municípios, desde que cumpram todos os pré-requisitos do decreto", explicou. Os números comprovam que Máximo está correto. Nessa quinta, por exemp0lo, já temos 4.252 casos  já foram registrados com a doença, no Estado, A grande maioria (3.105) de Porto Velho. Lamentavelmente, já temos 142 mortes. Temos também 1.789 curados. Estão internados, nos hospitais públicos e privados, 317 pessoas. O número total de exames já realizados foi de 14.557. Do total dos exames ralizados, 29,2 por cento tiveram resultado positivo.  



FALTA DE SEGURANÇA: MÉDICOS PROTESTAM



O Sindicato dos Médicos de Rondônia, o Simero, emitiu carta aberta à população, registrando sua “indignação e revolta”, dizendo-se estarrecido com a sequência de episódios de assalto e violência “contra servidores e pacientes, em unidades de saúde”, principalmente na Capital. O sindicato acrescenta: “O SIMERO vem desde o ano passado alertando, cobrando e oficiando os gestores estaduais e municipais do Estado, quanto a necessidade de segurança em todas as unidades de saúde”. A nota ainda lamenta: “todas as unidades de saúde, bem como seus servidores, permanecem expostos, indefesos e à mercê da própria sorte, sem qualquer tipo de segurança institucional”. Exigindo a presença de viaturas policiais nos locais de atendimento, principalmente onde são atendidos pacientes da Covid 19, o sindicato ainda sublinha: “estamos enfrentando uma Pandemia sem precedentes, que não faz distinção de classe social e que atinge toda população. Contudo, se nem no interior das unidades de saúde os profissionais e cidadãos estão seguros, como poderão realizar suas consultas e tratamento com tranquilidade?”. Aguarda-se respostas das autoridades da segurança pública.



VEM AÍ O MAIOR DESEMPREGO DA HISTÓRIA?



Porto Velho pode ter o maior índice de desemprego da sua história, nesse momento de pandemia, caso as empresas não possam voltar a funcionar. O presidente do Instituto Empresarial de Rondônia, empresário Chico Holanda, que tem se tornado uma das grandes lideranças do setor, disse, essa semana, que há riscos reais de que tenhamos, a médio e longo prazo, até 50 por cento de desemprego, com ênfase no comércio. Em entrevista ao programa Papo de Redação, da Rádio Parecis FM (meio dia às duas, de segunda a sexta), Holanda disse que é preciso a volta das atividades econômicas, com todos os cuidados necessários, para que não enfrentemos a maior crise de toda nossa história. Em nosso país, os números já assustam. A taxa de desemprego no Brasil subiu para 12,6 por cento, no trimestre encerrado em abril, atingindo 12 milhões e 800 milhões de pessoas e com um fechamento de quase 5 milhões de postos de trabalho em relação ao trimestre anterior. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Mensal do IBGE.  



 



OS LADRÕES DE CARGA ATACAM EM PORTO VELHO



A hipocrisia é incrível! Há gente que anda pelas redes sociais clamando por um país decente e honesto, mas que na primeira oportunidade, mostra quem realmente é. Pelo país afora, é comum ver a população saqueando cargas de caminhões acidentados. Nos noticiários, cenas são comuns. Entre os saqueadores, certamente estão alguns daqueles que vivem “ensinando” como os outros devem se portar. Infelizmente, isso aconteceu novamente e, agora, aqui mesmo, em Porto Velho. Um caminhão com uma carga de óleo de soja se acidentou na tarde desta quinta e dezenas de pessoas se aproveitaram e roubaram dezenas de caixas do produto. Carros e motociclistas paravam sobre a ponte, levando tudo o que podiam. Uma vergonha. Daqui a pouco, certamente leremos, pelas redes sociais, pessoas lamentando a falta de educação dos brasileiros. Certamente, entre elas, as que  estarão usando, em suas casas, o óleo de cozinha roubado de cima da ponte sobre o rio Madeira. Pobre Brasil!



MARCOS ROGÉRIO IRONIZA AÇÃO DO STF



Num vídeo de quase quatro minutos, o senador Marcos Rogério, do DEM de Rondônia, não poupou críticas contra algumas decisões emanadas pelo STF. Ele contestou, por exemplo, dizendo que não se compreende como “altas instituições da República,  se prestando a papéis rasteiros. E criando uma agenda de instabilidade a cada dia, por razões por razões injustificáveis”. Isso que ele gravou seu protesto antes da ridícula ação determinada nesta quarta pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF.   No longo depoimento, Marcos Rogério se referia principalmente a ação de divulgação da gravação da reunião do presidente Bllsonaro com seus ministros, feita por ordem do ministro Celso de Mello, também do Supremo. O senador rondoniense ironizou sobre o assunto: “pensei que seria uma bomba, mas realmente não passou de um traque”. Marcos Rogério foi contra a CPI da Toga, quando votada no Congresso, mas, se a proposta voltasse à Casa nesse momento, é muito provável que sua posição seria diferente. Ele também não aguenta mais alguns ministros do Supremo!



UM DINOSSAURO INESQUECÍVEL



A SICTV/Record prestou uma grande homenagem à memória de um dos grandes nomes da mídia rondoniense, nesta semana. Nos cinco anos da morte do inesquecível Sérgio Mello, familiares e amigos de longos anos deram seus depoimentos sobre a grande figura humana e o profissional irrepreensível que deixou uma história de mais de 30 anos no rádio e da TV do nosso Estado. De alma quase infantil, um discípulo da paz e exemplo para todos os que com ele conviveram, Sérgio Mello só não cuidava de si mesmo. Foi embora, durante uma cirurgia emergencial no seu combalido coração, antes de completar 60 anos. Foi um dos Dinossauros, ao lado de Beni Andrade, Everton Leoni, Sérgio Pires e Domingues Júnior, na fase inicial do programa Papo de Redação, no rádio e TV, que em pouco tempo se tornou o maior sucesso da mídia de Rondônia. Todos os que convivemos com ele sentimos sua falta!



PERGUNTINHA



Se você tivesse dinheiro para fazer uma aposta grande, apostaria toda a sua grana que a ponte sobre o rio Madeira, na Ponta do Abunã, ficará pronta em 2020, 2021, 2022, 2023 ou 2024?


Sobre o autor

OPINIÃO DE PRIMEIRA (SERGIO PIRES)

Colaborador do www.quenoticias.com.br: Sérgio Pires, experiente jornalista e que escreve a coluna OPINIÃO DE PRIMEIRA no jornal Estadão do Norte. Atua também na TV Candelária, onde apresenta aos sábados o programa Candelária em Debate e diariamente o "PAPO DE REDAÇÃO" na rádio Parecis FM. Contato através e-mail: ibanezpvh@yahoo.com.br / celular: 81 24 24 24