POLITICA & POLÍTICOS (CARLOS SPERANÇA)


O agronegócio sofreu horrores durante a ditadura

personPOLITICA & POLÍTICOS (CARLOS SPERANÇA) date_range20 Mar 2019 - 04h48

Um gigante produtivo O agronegócio sofreu horrores durante a ditadura, morta por crises diversas criadas por ela própria. Ao esmagar a..





Um gigante produtivo



O agronegócio sofreu horrores durante a ditadura, morta por crises diversas criadas por ela própria. Ao esmagar a oposição, sem debates nem contrapesos democráticos, ela fez uma leitura errada do cenário internacional e desidratou seu “milagre”.



Depois, os produtores foram traídos pela Nova República, mas venceram porque nunca deixaram de lutar. Assim conseguiram vitórias importantes da porteira para dentro, embora os caminhos fora dela ainda continuem repletos de obstáculos.



Um sonho dos produtores sempre foi aguçar o senso para o controle de pragas e dosagem de insumos, antes baseado na observação, conselhos dos pais e depois da extensão rural. Com assistência técnica, crédito e vocação, o agronegócio saltou. Nesse caso, é justo comemorar mais uma conquista: o financiamento, pelo Banco da Amazônia do primeiro equipamento do Norte dotado de drone para trabalhos de mapeamento.



Marshall McLuhan dizia que a tecnologia estende os sentidos humanos para além do que os olhos e ouvidos podem captar e fazem mãos e pernas alcançar distâncias antes inimagináveis – uma versão sadia do Big Brother. Ao saber a quantidade precisa de defensivo ou adubo a aplicar em cada trecho de uma vasta propriedade, o agropecuarista se torna um gigante.



……………………………………



Os interessados



Otimista, o PSL de Rondônia acredita que a onda Bolsonaro chega até as eleições 2020. Sendo assim, o partido pretende lançar o empresário Bagatoli para disputar a pefeitura de Vilhena e o deputado estadual Eyder Brasil na peleja pelo Paço Tancredo Neves em Porto Velho. Paradas duras, já que em Vilhena tem Luizinho Goebel que esta em ascensão e na capital, Leo Moraes, Vinicius Miguel e o próprio prefeito Hildon Chaves.



Troca-troca



Tendo em vista as eleições do ano que vem, o prefeito Hildon Chaves (PSDB) já começou os ajustes no seu primeiro escalão, alguns atendendo pedidos de sua base aliada. Também se cogita a nomeação dos ex-deputados federais Luis Claudio (PR) e de “Lindo” Garçon (PRB), mas o último não esta propenso a aceitar. Pensa em disputar uma eleição suplementar em Candeias.



Lei das licitações



Finalmente os deputados federais começam a discutir um projeto para a nova lei das licitações que cria modalidades de contratação, exige seguro-garantia para grandes obras, tipitica crimes relacionados ao assunto e ainda discute vários aspectos do tema para a União, estados e municípios. Trata-se de uma necessidade há muito constatada para moralizar a coisa pública neste país.



Podemos cresce



O Podemos de Leo Moraes esta se vitaminando no Congresso Nacional. Nesta janela partidária de início de ano passou de cinco para oito senadores e já é a terceira maior bancada no Senado. A legenda, lierada no País por Álvaro Dias, também deverá incorporar o PHS, em fusão, cujas tratativas estão em andamento. Como se sabe a sigla humanista não atendeu as exigências da clausula de barreira no pleito 2018.



Prisão domiciliar



Com o enorme aumento de mulheres nos presídios femininos nos últimos anos e muitas delas engravidando no cumprimento da pena, projeto que determina a substituição da prisão preventiva para domiciliar no caso das presas que estão amamentando tramita no Senado. O assunto já entrou em discussão e sendo aprovado será remetido para a Câmara dos Deputados para ajustes finais.



Via Direta



A região de Nova Mamoré vai se consolidando como a grande bacia leiteira do estado superando centros tradicionais como Jaru e Ouro Preto do Oeste *** Alarmante a situação do desemprego na capital com fechamento de uinidades supermercadistas dos Gonçalves e de várias lojas de eletrodomésticos *** Esta chegando o “repiquete” do Rio Madeira para começar oficialmente a temporada de verão em Porto Velho ***Depois de um inicio auspicioso com farta produção, a produção do pescado enrou em parafuso em Rondônia.   



Sobre o autor

POLITICA & POLÍTICOS (CARLOS SPERANÇA)

Colunista político do Jornal "DIÁRIO DA AMAZÔNIA", Ex-presidente do SINJOR, Carlos Sperança Neto é colaborador do Quenoticias.com.br. E-mail: csperanca@enter-net.com.br