O QUE DA NOTICIA (AOR OLIVEIRA)


PARTIDO COMPRANDO CANDIDATO

personO QUE DA NOTICIA (AOR OLIVEIRA) date_range04 Abr 2020 - 08h01 location_onARIQUEMES

Em primeira mão se noticiou a venda de partido político, agora houve a inversão é partido comprando candidato para assim formar nominata chega a ser ridículo o áudio a qual Matilde ouviu.



Na verdade, a politica sempre foi um meio de corrupção e isso nunca vai acabar enquanto tiver uma classe politica que só visa seus interesses.



PREFEITO DETONA MAIS UM VEREADOR



Em sua live de fim de tarde o Prefeito Thiago Flores dessa vez esculachou com o Vereador Zul Pinheiro que até pouco tempo era o seu líder na Câmara. Ficamos imaginando o que aconteceu com o Pastor Zul para cair na malha critica do Prefeito. Thiago leu até uma passagem bíblica para enquadrar Zul.



Agora Zul tem que buscar no Alcorão algum trecho para responder as maléficas palavras de Thiago.



MINHA DIVIDA



Saiu na imprensa de Rondônia uma relação de empresas que devem ao fisco e para surpresa de muitos o nome do candidato a Prefeito de Ariquemes Tiziu Jidalias mais conhecido como pássaro preto se encontra relacionado.



A divida que Tiziu tem supera os três milhões, e agora pássaro preto onde iremos ouvir seu cantar.



NO APAGAR DAS LUZES



Tem partido politico que ainda está se dilacerando todo para concluir sua nominata, por outro lado tem vereador correndo um sério risco de ficar de fora das eleições por não conseguir o encaixe em uma nominata, temos até o final dia para sabermos como ficou a relação de nomes e partidos. É só esperar.



COMO FUNCIONA O SISTEMA ELEITORAL BRASILEIRO



Nas eleições brasileiras são utilizados dos sistemas majoritário e proporcional. No sistema majoritário vence aquele que tiver mais votos. Já no sistema proporcional, os partidos tem direito as vagas no Legislativo proporcionalmente ao numero de votos que obtiveram. Antes era permitido aos partidos políticos fazerem coligação, agora com a nova lei não mais é permitido.



Nas eleições majoritárias são escolhidos o presidente, o governador, o senador e o prefeito, nessas eleições os candidatos a presidente, governador ou prefeito precisa possuir mais de 50% dos votos validos. Se não atingir essa quantidade de votos haverá segundo turno entre os dois candidatos mais bem votados, porém, só haverá segundo turno para as eleições a prefeito em cidades com mais de 200 mil eleitores. O mandato dos eleitos para esses cargos tem duração de quatro anos. Já o mandato para senador é de oito anos e a renovação acontece alternamente sendo um terço na primeira e dois terços na segunda, cada estado elege três senadores e esses são escolhidos pela maioria de votos.



Nas eleições proporcionais são escolhidos os deputados federais, os deputados estaduais e os vereadores, nesse sistema o voto com a introdução da nova lei vai beneficiar apenas o candidato que tiver mais voto, pois agora não existe mais o sistema de coligação, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para chegar ao resultado final aplicam-se os quocientes eleitoral (QE) e partidário (QP). O quociente eleitoral é definido pela soma do numero de votos validos, votos de legenda e votos nominais, excluindo-se os brancos e nulos, dividida pelo numero de cadeiras em cada disputa. Apenas partidos isolados e nominatas que atingem o quociente eleitoral têm direito a alguma vaga. A partir daí, analisa-se o quociente partidário, que é o resultado do numero de votos validos obtidos, pelo partido isolado, dividido pelo quociente eleitoral. O saldo da conta corresponde ao numero de cadeiras a serem ocupadas. Havendo sobra de vagas, divide-se o numero de votos validos do partido ou da nominata, conforme o caso, pelo numero de lugares obtidos mais um.



Quem alcançar o maior resultado assume a cadeira restante. Depois dessas etapas, verifica-se quais são os mais votado dentro de cada partido isolado ou nominata.



A REVELAÇÃO DIABÓLICA NAS ELEIÇÕES



Em algum determinado episódio, a capacidade intelectual do endemoninhado eleitor poderia impressionar a qualquer candidato que não sabe que a maioria das grandes realizações políticas, filosóficas, cientificas e inventos da humanidade são produtos de elaborações inconscientes e na politica moderna não é diferente. Mas na generalidade dos casos os eleitores são acometidos de pobreza intelectual ao não saberem escolher o melhor candidato para lhe representar as manifestações políticas são provas evidentemente que não procedem do Diabo, tão sábio e inteligente como é aprioristicamente cacarejado.



São enfadonhos os discurso dos famosos políticos sempre em uma repetição sistemática convulsionários do cemitério escalpelados e desesperante a pobreza do conteúdo que possa apresentar uma nova via para seguir e acompanhar o desenvolvimento tecnológico a que passa o planeta estando incluso a modernização da politica e que se tenha novos argumentos para apresentar ao povo. Antes que os demônios voltem.



 


Sobre o autor

O QUE DA NOTICIA (AOR OLIVEIRA)