LENHA NA FOGUEIRA (ZEKATRACA)


Prêmio Sesc de Incentivo às Artes Cênicas de Rondônia 2019 - Madeira Festival de Teatro

personLENHA NA FOGUEIRA (ZEKATRACA) date_range06 Jun 2019 - 13h52

Prêmio Sesc de Incentivo às  Artes Cênicas de Rondônia 2019 - Madeira Festival de Teatro - Gente de Opinião




As negociações para a realização do Arraial Flor do Maracujá 2019, que felizmente terminaram com todo mundo em paz, me fez lembrar alguns episódios que aconteceram em anos específicos, entre os representantes do governo estadual e os representantes dos grupos folclóricos.



**********



Vamos lembrar alguns episódios envolvendo representantes dos grupos folclóricos e governo.



**********



Em meados da década de 1990, os grupos que se destacavam em suas apresentações, eram os Bois Bumbás.



***********



Acontece que a Associação de Grupos Folclóricos de Rondônia – AFRO tinha como presidente o Folclorista Pedro Botelho, que era totalmente a favor de mais apoio aos grupos de quadrilhas.



***********



Assim sendo, não saia da sala do secretário de Cultura que sempre o encaminhava ao Departamento de Cultura cujo diretor o mandava conversar com o coordenador da Mostra de Quadrilhas e Bois Bumbás do Arraial Flor do Maracujá que 100% adorava a brincadeira de Boi Bumbá.



*********



Certo dia ao conversar com o coordenador do Flor e mais uma vez insistir no apoio financeiro ao Grupos de Quadrilhas, recebeu a seguinte resposta:



**********



Nós só temos recursos para os Bois Bumbás. Depois de muito argumentar e não conseguir nada para as Quadrilhas, Pedro Botelho foi embora muito triste.



**********



Dessa viagem parou num lanche que funcionava na rua José de Alencar pelo lado da Caixa Econômica e na calçada do prédio aonde funcionava a Secretaria Municipal de Cultura – SEMCE onde trabalhava o José Monteiro seu cunhado, Almira, Omedino Pantoja, Aluízio Guedes e Carlinhos Maracanã. Se não estou enganado o prefeito era o José Guedes e o secretario de Cultura o professor Daniel.



**********



O expediente já havia acabado quando Pedrinho chegou e encontrou a turma, sentada em uma mesa do Lanche e ali ficou e desabafou sua decepção com a direção da SECET em relação aos grupos de quadrilhas.



***********



Desabafou e caiu passando mal, apesar da turma ter chamado o socorro. Quando a equipe da saúde chegou era tarde, PEDRO BOTELHO estava morto. Morreu defendendo recursos para os grupos de quadrilhas.



***********



Os anos se passaram e o folclorista Antônio de Castro Alves que era o vice do Pedro Botelho na AFRO criou no final da década de 1990, a Federação das Associações de Grupos Folclóricos de Rondônia – FRAGRUF e com a anuência da presidente da FUNCETUR órgão que substituiu a Secet, passou a coordenar a Mostra de Quadrilhas e Bois Bumbás do Arraial Flor do Maracujá.



**********



Quando o governador Ivo Cassol assumiu, ativou novamente a Secretaria de Cultura agora como Secel e nomeou secretário Luiz Carlos Venceslau que veio de Espigão do Oeste.



**********



Quando chegou o mês de maio do ano 2004, Luiz convidou o Antônio de Castro Alves para uma conversa e disse: “O Flor do Maracujá não é da sua Federação, é do governo do estado e nós é que vamos administra-lo a partir de agora”.



***********



Pela primeira vez o Boi Corre Campo perdeu para o Diamante Negro e o resultado foi que Antônio Castro Alves ficou tão deprimido com a atitude do secretário, que no dia 22 de agosto de 2004, dia do folclore, depois de alguns dias na UTI de um hospital faleceu. Morreu lutando pelos grupos folclóricos.



**********



Essas história são apenas para lembrar a luta enfrentada pelos folcloristas de Rondônia, ao longo desses 38 anos da existência da Mostra de Quadrilhas e Bois Bumbás – Arraial Flor do Maracujá.



***********



Desta vez, graças a Deus, a pendenga terminou com os dirigentes da Sejucel e da Federon fumando o CACHIMBO DA PAZ!



**********



E como todo mundo continua vivo, vamos juntos, realizar o Melhor Flor do Maracujá de todos os tempos! 



 



EDITAL



Prêmio Sesc de Incentivo às Artes Cênicas de Rondônia 2019 



Como parte das ações do Programa Cultura o Sesc Rondônia lança o edital do projeto Prêmio Sesc de Incentivo as Artes Cênicas 2019. Este projeto tem o objetivo de selecionar 3 (três) grupos de Artes Cênicas do estado de Rondônia, para receberem uma premiação, cujo recurso deverá ser empregado na montagem de um espetáculo e posteriormente na circulação nas unidades do Sesc Rondônia, bem como desenvolvimento de ações formativas, conforme calendário pré-agendado pelo Sesc. Os projetos deverão se enquadrar, obrigatoriamente, em uma das categorias mencionadas no edital que são: teatro, dança ou circo.



Os projetos deverão ser entregues no período de 03 a 24 de junho pelos Correios (carta registrada) ou diretamente na Coordenação de Cultura do Sesc Esplanada. Cada um dos três projetos contemplados receberão um auxílio no valor de R$ 28 mil reais, sendo o pagamento efetuado em três parcelas, descontados os impostos e contribuições previstos na legislação em vigor e depositado obrigatoriamente na conta bancária do premiado.



Cada proponente poderá concorrer somente com um projeto, e a escolha dos projetos contemplados será realizada por uma comissão composta por quatro técnicos especializados da Coordenação de Cultura do Sesc. Confira o edital e mais informações no endereço http://sescro.com.br/ ou através do telefone (69) 3229-6006 ramal 238 / 239.



 



 




Prêmio Sesc de Incentivo às  Artes Cênicas de Rondônia 2019 - Madeira Festival de Teatro - Gente de Opinião



Madeira Festival de Teatro na sala Guaporé até dia 9 



A Prefeitura de Porto Velho, através da Funcultural, apóia o ‘Primeiro Madeira Festival de Teatro’, que começou ontem dia 5 e vai até dia 9 de Junho, no Teatro Guaporé, em Porto Velho. O acesso para prestigiar as apresentações é gratuito e, para atender a demanda do público, haverá interprete de LIBRAS.



O Estado de Rondônia possui um mosaico de diversas culturas, por isso a necessidade de iniciativas privadas e públicas para atender a demanda do mundo artístico. É necessário instigar os artistas para que produzam e que a comunidade tenha acesso a essas produções. O ‘Madeira Festival de Teatro’ é um evento competitivo, o espetáculo vencedor receberá cachê, transporte, estadia e alimentação para realizar a turnê pelos municípios de Ariquemes, Jaru, Ji-Paraná, Cacoal e Vilhena, entre os dias 12 e 22 de Junho.



O Festival é idealizado pelos artistas e produtores rondonienses Édier William e Mari Santos, realizado por meio da Lei de incentivo à cultura, através do Ministério da Cidadania, realização da Zenital Produções, apoio da Funcer, Sejucel, Funcultural e possui patrocínio do Atacadão S/A e Governo Federal.



Todos os espetáculos têm classificação indicativa para idade de 12 anos. Seis espetáculos acontecem no Teatro Guaporé, Rua Tabajara, 148, Centro.



Espetáculos na programação



‘Mulheres do Aluá’ (5/6, às 19h),



‘Tabule’ (6/6, às 19h30),



‘É Crime Não Saber Ler’ (7/6, às 14h),



‘À Margem’ (7/6, às 20h),



‘Viúvas do Mar’ (8/6, às 19h30),



‘Inimigos do Povo’ (9/6, às 16h). 



Sobre o autor

LENHA NA FOGUEIRA (ZEKATRACA)

Colaborador do Que Notícias, ZEKATRACA é titular da coluna Lenha na Fogueira no jornal Diário da Amazônia. E-mail: zekatracasantos@gmail.com