POLITICA & POLÍTICOS (CARLOS SPERANÇA)


Projeto Amazônia+21 + Parada difícil para Laerte Gomes + Hildon e seu jogo de estratégia

personPOLITICA & POLÍTICOS (CARLOS SPERANÇA) date_range19 Nov 2019 - 07h19

Página a virar



Brasília, 30 de outubro, Confederação Nacional da Indústria (CNI), abertura do projeto Amazônia+21. Uma data histórica, talvez o marco divisório entre o modelo antigo de exploração irracional da biodiversidade e a nova realidade de aproveitamento sustentável das riquezas para o máximo benefício dos brasileiros e prejuízo zero para o resto do mundo.



O presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, que abriu o evento, repetiu na ocasião o que é sempre dito quando o assunto entra em pauta: há potencial na região para fazer avançar a agenda de bioeconomia, mas é preciso construir um ambiente favorável para isso, com regras claras e segurança jurídica.



Correto e indubitável, mas há empresários amazônicos que já se cansaram de tanto ouvir que a região tem “potencial” para isto ou aquilo. Até porque tem potencial para tudo e no dia a dia novas descobertas de espécies e usos para as já conhecidas se apresentam nas diversas frentes de pesquisa em andamento.



O coordenador da Comissão de Logística do Centro da Indústria do Estado do Amazonas (Cieam), Augusto Barreto Rocha, é um que se confessa cansado de tanto ouvir que a Amazônia tem potencial para fármacos, bionegócios, turismo, pesca, fruticultura, mineração. De fato, enquanto se falar que há potencial ele continuará sem se concretizar. Que o Amazônia+21 vire essa página e inicie a era da concretização dos potenciais.



.......................................................



    Na fronteira



Ao meio de sérios disturbios e ainda com a desconfiança do atual governo de que forças estrangeiras estão colaborando com os tumultos, as lideranças bolivianas de Guayaramirim na fronteira com o Brasil, acreditam que os esforços pela pacificação liderados pela Conferencia Episcopal trará bons resultados. Amanhã, dia 20, fará um mês de convulsões e de confrontos sangrentos entre os adeptos de Ivo Morales com o agora o poder dominante.



Novo encontro



Com o inicio da coleta de assinaturas visando a estruturação da nova sigla, a Aliança Pelo Brasil, a organização nacional da agremiação do presidente Jair Bolsonaro terá encontro em Brasilia na próxima quinta-feira, dia 21. A legenda corre contra o tempo para estar em condições para participar das eleições municipais do ano que vem, já que o processo de criação é longo e arrastado.



Parada dificil



O que parecia uma tarefa fácil para os aliados do presidente da Assembléia Legislativa, Laerte Gomes (PSDB) na peleja pelo Palácio Urupá, sede da prefeitura de Ji-Paraná, se tranformou em osso para o postulante tucano no pleito do ano que vem. Ocorre que o prefeito Marcito Pinto (PDT) se recuperou bem, com muitas obras em andamento, e surgiu um fato novo, numa crescente, que foi o lançamento do ex-vereador Isau (MDB) com ares de predador.



Jogo de estratégia



Sem grandes obras para apresentar para a campanha de reeleição, já que o projeto da nova rodoviária desandou, a urbanização da orla do Rio Madeira despencou água abaixo com os desmoronamentos dos aterros do consórcio Santo Antonio, na formação da barragem de contenção, o prefeito Hildon Chaves (PSDB) acelera a pavimentação e a entrega de titulos da regularização fundiária nos bairros de Porto Velho e nos Distritos.



Buscando soluções



Por outro lado, o prefeito Hildon Chaves busca soluções para a mobilidade urbana, ainda espera resolver a licitação para o novo sistema de trasportes coletivos de Porto Velho que se arrasta há mais de quatro anos. Com isto solucionado, mais a questão do transporte escolar que tanto provocou desgastes em sua gestão, o prefeito tucano estará pronto para o duro embate com a oposição, que já conta com adversários com as garras afiadas.



 



Via Direta



*** O novo partido criado pelo presidente Bolsonaro, Aliança Pelo Brasil será comandado em Rondônia pelo governador Marcos Rocha e o deputado estadual Eyder Brasil *** Por sua vez, o controle do PSL poderá ficar com o deputado federal Chrisostomo e sendo assim o bolsonarismo poderá contar com dois candidatos a prefeitura da capital, Eyder e Chrisostomo*** Lembra os tempos de Collor quando dois candidatos se diziam “coloridos” na disputa ao governo do estado em 90, Raupp e Piana e o último acabou ganhando a parada *** Raupp voltaria ao PMDB se livraria de Jerônimo e se tornaria governador quatro anos depois *** Em Ariquemes existem sinais de polarização para 2020 entre o vice-prefeito Lucas Folador (DEM) e Tziu Jidaias (Solidariedade) *** O prefeito ariquemense Thiago Flores (PSL) busca alianças para se manter no poder *** Nos bastidores, dirigentes do Partido Verde buscam alianças, mesmo contando com um pré-candidato a prefeitura da capital já lançado, que é o ex-deputado Herminio Coelho *** Traíras, muitos traíras no pedaço...


Sobre o autor

POLITICA & POLÍTICOS (CARLOS SPERANÇA)

Colunista político do Jornal "DIÁRIO DA AMAZÔNIA", Ex-presidente do SINJOR, Carlos Sperança Neto é colaborador do Quenoticias.com.br. E-mail: csperanca@enter-net.com.br