NOÇÕES DE POLITICA - Humberto Pinho da Silva


SERÁ DECENTE PARTICIPAR NUM CULTO DE CALÇÕES ?

personNOÇÕES DE POLITICA - Humberto Pinho da Silva date_range04 Dez 2017 - 05h55

Quando meu cunhado veio, em passeio, a Portugal, fomos à Figueira da Foz.



Habituado a andar, à vontade, pelo sertão brasileiro, envergava calção (bermudas) e t-shirt colorida.



O dia era quente e calmoso. Corria tépida e levíssima brisa, que mais parecia carícia, de que vento.



Almoçamos ao ar livre, numa esplanada. Apenas a avenida nos separava do extenso areal. Tão extenso era, que, por mais que alongássemos a vista, mal vislumbrávamos o mar.



Terminada a refeição, lembrou-se de ir ao Casino. Embora não seja meu lugar preferido, acompanhei-o, por cortesia.



Já no adito, fomos barrados. Não era permitido entrar na sala de jogos, em bermudas.



Não tivemos outro remédio, se não retirarmo-nos.



Nem os rogos de meu cunhado, afirmando que sempre entrara nos Casinos do Paraguai, nesses trajes, convenceram o empregado.



Segundo ele, (o porteiro,) era necessário manter o nível…



Tudo isso vem a propósito do que vi, durante a missa, que participei na igreja de São José de Ribamar, no bairro balnear, da Povoa do Varzim.



Na assembleia, havia senhoras de calções. Poucas, muito poucas, – mas havia…



Dir-me-ão: “ Mas que mal há nisso?!”



Nenhum. Cada qual usa o que gosta e está na moda.



Além disso, a igreja, fica a dois passos das famosas praias da Avenida dos Banhos, onde é livre e apropriado envergar bikini.



Mas uma coisa é a praia e passadouros; outra: o templo – Casa de Deus.



Pouco Lhe importa, ao Omnipotente, como cada um está vestido ou despido, mas é – a meu ver, – falta de consideração e respeito.



Como não é decente, sentar-se à mesa de tronco nu ou de chapéu, na cabeça; nem ir para a Faculdade, descalço, também, quando se entra na Casa do Senhor, mormente para participar numa cerimónia, deve-se usar trajes domingueiros…



Sou apologista que cada qual se cubra como quer ou pode, mas de acordo com o lugar e local, onde está.



Ninguém vai a entrevista de emprego em fato de banho; nem de sapatos e terno (fato completo) para a praia.



Este ponto de vista, pode ser taxado de puritanismo, mas, parece-me, que quem vai visitar individualidade de respeito, deve-se trajar de acordo com a solenidade da festa ou de quem se visita.



Ou estarei equivocado?



Não é questão de etiqueta ou de moda, mas de respeito.



 



 



 



HUMBERTO PINHO DA SILVA   -   Porto, Portugal.


Sobre o autor

NOÇÕES DE POLITICA - Humberto Pinho da Silva