POLITICA & POLÍTICOS (CARLOS SPERANÇA)


Sem velório + O sofrimento + A rejeição + Ex-governadores

personPOLITICA & POLÍTICOS (CARLOS SPERANÇA) date_range03 Jul 2020 - 11h37

Sem velório



É saliente demais para não causar reflexão e necessárias preocupações o fato de quatro dos cinco estados da região serem os que mais apresentam casos de contágio pelo novo coronavírus para cada cem mil habitantes. Como tudo tem causa, em geral mais de uma, neste caso, infelizmente são várias. Lá atrás, começaram pelo planejamento descuidado, que deveria ter alertado as autoridades desde o primeiro ciclo da borracha.



Enquanto alguns nadam em dinheiro no pico dos ciclos econômicos, a maioria do povo sofre condições deploráveis de subsistência. Nababos choravam de rir nas comédias do Teatro Amazonas enquanto índios abandonados e pobres seringueiros choravam mortes com as doenças da civilização e a falta de socorro. Assim também foi no boom do estanho e na ocupação territorial. Partiam da ideia simplista de primeiro lucrar deixando que o acaso tratasse de resolver os problemas antigos, os emergentes e os criados pelos choques de interesses.



É preciso que o poder público, a academia, as instituições representativas da sociedade e inclusive os organismos internacionais, que só sabem exigir sem aplicar meios corretivos adequados, a começar por investimentos, tirem da pandemia as lições não aprendidas no passado. O horror atual dos mortos sem velórios não é uma novidade na região. Muitos morrem sem velórios, insepultos e esquecidos, há séculos.



......................................................



O sofrimento



A temporada de pandemia tem sido difícil para as mulheres, crianças e idosos. O sofrimento tem sido grande principalmente com as famílias que contam com filhos e netos drogados e maridos violentos. O registro de agressões só tem aumentado nas últimas semanas e nos conjuntos habitacionais tomados pelas organizações criminosas. Idosos solitários tem sido expulsos de suas casas e apartamentos para a revenda dos imóveis.



A rejeição



Aumentou muito a rejeição a classe política nestes tempos de pandemia. Em pleitos anteriores os candidatos já ouviam umas barbaridades nas campanhas, mas na jornada atual os políticos se mostram com uma imagem mais negativa, estão mais sujos do que pau de galinheiro. Por conta de tanta rejeição da opinião pública muitos postulantes a vereança estão desistindo da peleja 2020, com receio da recepção perante o eleitorado.



 Ex-governadores



Exceto Confúcio Moura (MDB) que cumpre mandato com grande competência no Senado, o que não é surpresa já que foi o melhor prefeito de sua geração e melhor deputado federal em sua legislatura, os demais governadores estão cada vez mais distanciados da política. Lembrando que Teixeirão, Angelim e Bengala já faleceram, Oswaldo Piana reside no Rio de Janeiro, José Bianco se aposentou e Ivo Cassol anda sumido do mapa.



Não decolaram



Lembrando ainda que os vices que assumiram o antigo Palácio Presidente Vargas em anos passados não decolaram politicamente, embora políticos pitocos, como Orestes Muniz, vice de Bengala,  que perdeu eleição em 90 para Piana e Cahula vice de Cassol em disputa ao governo foi derrotado por Confúcio. Os vices Airton Gurgacz e Daniel Pereira não disputaram o governo estadual e se organizam para disputar cargos eletivos em 2022.



Tomando tudo



Não é a toa que o ex-governador e ex-senador Valdir Raupp odeia Confúcio Moura desde a fatídica convenção que levou o MDB ao racha e depois ao despenhadeiro. De lá para cá, El Carecón tomou a cadeira de Raupp no Senado e o cargo de vice-presidente do Diretório Nacional o MDB em Brasília. É muita coisa e Raupp, além disto, ficou em dificuldades para se recuperar da derrota do pleito de 2018, pois agora tem a Operação Lava Jato no pé.



Via Direta



*** Os traficantes estão cada vez mais engenhosos no transporte da cocaína e de celulares nas fronteiras *** Seja via aérea com os drones, pelos rios com  pequenos barcos elétricos remotos. E assim caminha a humanidade *** Por falar em tráfico de drogas, com a pandemia e a crise do desemprego os narcotraficantes estão aumentando o recrutamento de jovens para a atividade *** Não é a toa que tem aumentado geometricamente a presença de jovens nos presídios rondonienses *** Em 2020 estamos no lucro com a temporada de queimadas. Em anos anteriores já em maio grossas camadas de fumaça tomavam conta dos céus em Porto Velho *** No entanto a Amazônia não vai escapar de uma seca severa em 2020 ***. Os primeiros indícios já apareceram com o nível das águas dos rios e igarapés da região caindo rapidamente. 


Sobre o autor

POLITICA & POLÍTICOS (CARLOS SPERANÇA)

Colunista político do Jornal "DIÁRIO DA AMAZÔNIA", Ex-presidente do SINJOR, Carlos Sperança Neto é colaborador do Quenoticias.com.br. E-mail: csperanca@enter-net.com.br