POLITICA & POLÍTICOS (CARLOS SPERANÇA)


Todos no mesmo barco

personPOLITICA & POLÍTICOS (CARLOS SPERANÇA) date_range03 Jan 2019 - 08h18

Ao completar as equipes de governo – ministério e secretariado – o presidente Jair Bolsonaro e o governador Marcos Rocha, como seus homólogos pelo país, escolheram os melhores para cada função de acordo com seu julgamento, levando em conta apreciações de correligionários e amigos. Para cada função sempre há várias possibilidades, cada qual com seu próprio lobby. Com isso, a montagem e um gabinete enfrenta sempre a mágoa dos preteridos.



“Cada vez que dou um posto vago, faço cem descontentes e um ingrato”, dizia o rei francês Luís XIV. Os cem descontentes são inevitáveis, mas os escolhidos para o próximo governo devem ser gratos pela oportunidade, principalmente sabendo que por conta da conjuntura, mudando a cada sopro do vento, podem ser substituídos.



Apesar da gravidade da crise brasileira, piorada pela situação mundial de incerteza, os brasileiros sentem que precisam confiar e esperar o melhor da equipe ministerial e dos secretariados estaduais, mesmo porque todos estão no mesmo barco e ninguém quer naufragar.



O sábio Baltazar Gracián estimava que ninguém se importará no futuro se os ministros foram bons ou maus. O nome que fica na história é o de quem os escolheu: “A eles você está confiando sua fama imortal”.



…………………………………



Novos secretários



Conforme estabeleceu o governador Marcos Rocha, antes de viajar a Brasília para participar da posse do presidente Jair Bolsonaro, os secretários de estado assumem seus cargos nesta sexta-feira, dia 4, prestigiando assim a data da instalação do estado de Rondônia. Assim ele ganha tempo para tentar resolver o problema do orçamento 2019 que não foi sancionado por Daniel Pereira.



Recado à imprensa



Chamou a atenção do recado do governador eleito Marcos Rocha sobre o que ele qualificou “imprensa do mal”. Infelizmente ela existe. Ela funciona na base de achaque. Os jornalistas lascam o pau nos órgãos públicos para se empregar no governo do estado, na Assembleia Legislativa e prefeitura de Porto Velho. Por isto os órgãos públicos da capital estão lotados de fantasmas, boa parte, de fato, originada da imprensa.



Esqueceram de mim



Na solenidade de posse de Marcos Rocha, na terça-feira, falou todo mundo que podia e não foi dado muito espaço ao então governador Daniel Pereira que passou a faixa para seu sucessor. Pobre Pereirinha, tinha um discurso bonito para a plateia presente no Teatro Estadual. Fica para outra. Dizem por aí que ele é candidato a prefeito de Porto Velho no ano que vem. Será?



Rondônia estado



O estado de Rondônia completa, neste dia 4, 37 anos de instalação. Tive o privilégio de ser testemunha ocular das festividades em 1981, na época, como editor do jornal Estadão do Norte. Na época, Porto Velho fervilhava com o garimpo de ouro no Rio Madeira e no interior, a migração no estado chegava ao seu auge com a busca de módulos rurais doados pelo INCRA.



A pujança



Na época da virada de Rondônia de território a estado eram cerca de 490 mil habitantes, menos do que a população atual de Porto Velho estimada em 520 mil almas. Passadas quase quatro décadas, já somos 1.800.000 habitantes, com grande pujança no agronegócio e crescendo 5 por cento ao ano, um índice invejável comparado com outras unidades da federação.



Via Direta



*** Na posse do governador Marcos Rocha o presidente da ALE Maurão de Carvalho falou da sua disposição em ajudar a nova gestão ***Ora, se quisesse mesmo tinha enviado o orçamento 2019 para sanção do então governador Daniel Pereira antes de sábado **Aliás, sobre a questão orçamentária tanto Marcos Rocha como Maurão optaram em não comentar o assunto *** Maurão jura de pé juntos que mandou para o Executivo.  


Sobre o autor

POLITICA & POLÍTICOS (CARLOS SPERANÇA)

Colunista político do Jornal "DIÁRIO DA AMAZÔNIA", Ex-presidente do SINJOR, Carlos Sperança Neto é colaborador do Quenoticias.com.br. E-mail: csperanca@enter-net.com.br