O QUE DA NOTICIA (AOR OLIVEIRA)


VEREADORES ELEITOS DE ARIQUEMES TERÃO PAPEL NÃO DE LEGISLAR, MAS FACILITAR A VIDA DOS EMPREENDEDORES

personO QUE DA NOTICIA (AOR OLIVEIRA) date_range27 Nov 2020 - 07h27 location_onARIQUEMES

No entendimento de Matilde nestas eleições de 2020, percebeu que muitas das leis municipais precisam mudar urgentemente para que a cidade consiga criar novos negócios a partir de 2021. Independentemente de quem seja o prefeito, os vereadores eleitos terão que assumir o seu papel de, não só legislar, mas principalmente de facilitar a vida daqueles que querem e precisam empreender na cidade de Ariquemes.



Não se pode mais aceitar uma lei que restringe o horário de abertura do comércio na cidade, não há mais espaço para regras altamente rígidas da Vigilância Sanitária quando um empresário do ramo de alimentação precisa de um alvará para produzir seus produtos.



Chegamos ao cúmulo de microempresários individuais não poderem ter o alvará sanitário porque a lei não os contempla, o que faz com que pessoas que produzem salgados ou brigadeiros tenham que trabalhar na clandestinidade.



Ano que vem teremos muita gente sem renda por conta do término de seguros desemprego ou mesmo com o fim do auxílio emergencial e isso obriga as administrações públicas a mudarem sua visão de cidade e obriga ainda mais os vereadores a colocarem essa pauta na mesa nos primeiros dias de mandato. Somente com uma mudança significativa vamos permitir que pessoas que querem produzir tenham menos burocracia ou, quem sabe até, extinta na hora de buscarem a legalidade das suas empresas.



Os novos vereadores precisam trabalhar leis para incentivar o setor de turismo para que se possa ter dos investidores a olharem para Ariquemes como uma cidade viável e até o setor produtivo, como empresas de vários ramos, merecem facilidades para que consigamos recolocar uma mão de obra qualificada que temos por aqui.



Talvez o que nos falte agora é perceber que todo esse batalhão de empreendedores, sejam eles grandes ou pequenos, seja contemplado com leis claras e mais brandas que possibilitem o empresário a gerar mais postos de trabalho.



O ano de 2021 que parece ainda ser difícil, mas que pode ser amenizado se os vereadores eleitos pensarem muito mais em se unir para mudar a regra do jogo do que se separarem em blocos para defenderem a situação ou a oposição.



A ELEIÇÃO DA MESA DIRETORA DA CÂMARA



eleição do presidente, vice-presidentes, secretários e suplentes é feita a cada início de legislatura. A bem da democracia os cargos deveriam serem negociados entre líderes de partidos que tenham obtido assentamento na Casa de Leis Mirim. De modo que, geralmente, esses partidos ou blocos indicam os candidatos que vão concorrer aos cargos que têm à disposição. Blocos maiores normalmente ficam com cargos mais altos e/ou com mais cargos. Essa distribuição dos cargos da Mesa por blocos está prevista no regimento. A votação é aberta ao plenário e é preciso conseguir – maioria absoluta dos votos dos vereadores – para se eleger.



OS DOIS LADOS – DA MESA



Para o marceneiro que a constrói a mesa tem dois lados um de cima e o de baixo. Para os políticos que disputam a vaga de presidente da mesa diretora da câmara – também tem dois lados.



Um que clama como vitorioso



E o outro que quer galgar o poder.



Nessas entrelinhas desse caminhar existem traídos e traidores, vereadores com dupla palavra que não se pode confiar, as reuniões que acontecem a cada dia, rodeadas de mistérios, corridas como se fossem a última volta da formula um.



É como se estivéssemos rememorando a época do império romano e a constituições de seus governadores que eram composto por duas partes, assim está a escolha do futuro presidente do poder legislativo mirim, que tem ultimamente passado por denegação de vereadores ambiciosos e ultrajantes, sem ao menos saberem o que é ser vereador.



O FUTURO POLITICO



O que nos reserva o futuro político de Ariquemes?



Os dois maiores líderes políticos do município viram caírem por terra os seus fascínios políticos e estão fora do comando político.



Agora é a vez de um novo líder assumir os destinos políticos de Ariquemes.



Vejamos: Geraldo da Rondônia não se firmou como político e por conta de diversos problemas pessoais, sua carreira afundou e jamais conseguira submergir da lama em que se afundou.



Adelino Follador em declínio político já não reuni a mesma liderança de outrora, concorre para o fracasso e terá dificuldades para se reeleger.



Nesse contexto de análise sobra o emergente político Alex Redano, futuro presidente da Assembleia, elegeu a esposa como Prefeita, concorre como um dos mais promissores líderes da Região do Vale do Jamari.



Alex é o sucessor nato de Ernandes Amorim e Confúcio Moura, se consolida dentre todos a melhor opção de escolha como representante do município.



Redano tem muito a oferecer em termos de desenvolvimento e engrandecimento político para Ariquemes.



 



 



 



 



 


Sobre o autor

O QUE DA NOTICIA (AOR OLIVEIRA)