SAÚDE

Aborto


bookmark_borderBRASIL SAÚDE date_range29 Out 2020 - 04h42 personSALVATORE D'ONOFRIO

"Governo Bolsonaro afirma em diretriz que direito à vida começa na concepção" (Folha, 28/10). É lícito perguntar quem seria o "sujeito" deste direito. O feto ainda em formação no início da gravidez? A ciência nos ensina que o homem, diferentemente dos outros animais, é um ser racional e a razão (espírito ou alma) é uma função de um nosso órgão, o cérebro, que nos faz pensar, sentir, amar. Evidentemente, como qualquer outro órgão do nosso corpo, o intelecto evolui, da fecundação à morte. Nos primeiros três meses de vida, ainda não está formada a massa encefálica que caracteriza um ser humano. Por isso, nesta fase, existindo no útero materno apenas um acúmulo de células disfuncionais, o aborto não deveria ser considerado crime, conforme já acontece em nações mais desenvolvidas. Seria sensato e patriótico que uma mulher, logo que percebesse estar grávida, consultasse familiares e amigos sobre a conveniência de ter um filho, para o bem seu e da sociedade. Bolsonaro, ao pregar "direito à vida", deveria acrescentar "com dignidade"!



--

Salvatore D' Onofrio

Dr. pela USP e Professor Titular pela UNESP

Autor do Dicionário de Cultura Básica (Publit)

Literatura Ocidental e Forma e Sentido do Texto Literário (Ática)

Pensar é preciso e Pesquisando (Editorama)

www.salvatoredonofrio.com.br

http://pt.wikisource.org/wiki/Autor:Salvatore_D%E2%80%99_Onofrio