Esporte

'Acharam que eu jogava por pena', diz Ruschel sobre saída da Chape

Lateral, sobrevivente de acidente aéreo no final de 2016, decidiu deixar o clube catarinense para atuar no Goiás, onde está emprestado até o fim do ano


bookmark_borderQUENOTICIASESPORTES date_range04 Dez 2019 - 07h00 personFUTEBOL Felippe Scozzafave, do R7

Alan Ruschel é um vitorioso. Aos 30 anos, o lateral sabe muito bem como é difícil conseguir uma carreira de sucesso. Ele já foi emprestado para clubes menores, pego no exame antidoping e, no seu melhor momento como jogador, uma tragédia por pouco não tirou a sua vida. Totalmente recuperado, mas, evidentemente, com um trauma eterno pela morte de 71 colegas na queda do avião da Chapecoense na Colômbia, ele mostra, agora no Goiás, que ainda pode conquistar muito no futebol, algo que muitos duvidaram.



"Por ter permanecido na Chapecoense após o acidente e recomeçado minha carreira por lá, muitas pessoas estavam dizendo que eu ainda jogava por pena ou que a minha carreira tinha acabado ou acabaria lá. Achei que era o momento de 'tocar o barco', procurar novos desafios e seguir outro caminho", revelou Ruschel, em entrevista ao R7 em que se mostrou bastante satisfeito com o rumo que a carreira levou após decidir deixar a Chape, mesmo sendo um dos poucos sobreviventes do fatídico acidente em 29 de novembro de 2016.





 


PUBLICIDADE








E apesar de ter decidido seguir sua vida e encontrar a felicidade e o bom rendimento em outro local, Alan Ruschel não consegue tirar seus colegas que perderam a vida da cabeça. "Muita coisa mudou na minha vida depois do acidente. Depois de passar por uma experiência como essa, a gente aprende a dar valor à vida, aos bons momentos e aproveitar cada segundo junto da família e dos amigos. Tudo me ensinou que a vida é um sopro, estamos aqui e daqui a pouco podemos não estar mais, é tudo muito rápido, num estalar de dedos. Minha motivação sempre veio da minha família, e depois do acidente coisas maravilhosas aconteceram na minha vida, meu filho nasceu e eu aprendi a ressignificar todos esses acontecimentos. Oro sempre pelos meus amigos que partiram e procuro honrar a memória daquela equipe. Sei que estão num lugar melhor e sempre olhando por nós. Era um grupo muito unido, então procuro manter viva a memória das alegrias que vivemos juntos e guardar com carinho os momentos bons."









Futuro

Ainda sonhando em conquistar a vaga na Libertadores de 2020 com o Goiás, onde é titular absoluto, o lateral ainda não sabe onde atuará na próxima temporada. "Estou muito feliz aqui, minha família está adaptada e isso me deixa tranquilo. Fui muito bem recebido no clube e por todo o grupo. Ainda temos jogos muito importantes e objetivos a conquistar no Campeonato, então não posso pensar no futuro e esquecer as metas que temos para agora. Vou finalizar a temporada e, depois disso, pensar com calma e avaliar todas as situações junto aos meus representantes", declarou ele, que ainda tem contrato com a Chapecoense, que o emprestou até o fim do atual ano.



 




Mesmo com a indefinição do futuro, com ele podendo ser novamente emprestado, ou então ajudar o clube catarinense, que caiu para a 2ª divisão e, em 2020, tentará retornar para a elite do futebol brasileiro, Ruschel só tem uma certeza: ainda quer conquistar muitas coisas no futebol.



"Ainda tenho muita lenha pra queimar e muitas coisas que quero realizar. Quero fazer o meu trabalho com a dedicação de sempre e colher os frutos dessa entrega. Sigo focado e trabalhando forte todos os dias para honrar tudo o que tenho e todas as coisas boas que acontecem na minha vida."