Policial

Adolescente matou casal porque não gostou de encarada. “Tá olhando o quê?”

De acordo com as investigações, o autor do crime é membro de uma gangue que atua na região de Sobradinho II, onde é temido pela violência


bookmark_borderCASOS DE POLICIA date_range12 Out 2020 - 09h00 personMETRÓPOLES /CARLOS CARONE

APolícia Civil do Distrito Federal (PCDF) procura pelo adolescente de 16 anos que matou um casal na madrugada desse domingo (11/10), no Setor de Mansões de Sobradinho II. Um jovem de 17 e uma adolescente de 14 anos foram alvo da fúria do rapaz, que teria se irritado com as olhadas que havia recebido durante a festa. O autor dos disparos teria dito: “tá olhando o quê?” antes de abrir fogo contra as vítimas. O caso é apurado pela 35ª Delegacia de Polícia (Sobradinho II).



 



De acordo com as investigações, o autor do crime é integrante de uma gangue que atua na região administrativa. Apesar da pouca idade, o menor é temido pela violência. Em maio, ele já havia matado um homem de 52 anos após um desentendimento. Dias atrás, foi levado por policiais militares para a Delegacia da Criança e do Adolescente DCA) com pequenas porções de drogas.



Paulo Vitor Costa, o adolescente de 17 anos, foi baleado três vezes. Um dos disparos acertou a cabeça do rapaz. Outros dois acertaram Bruna Vitória de Abreu Nery, 14 anos, e um amigo de Paulo Vitor, não identificado até então. A menina não resistiu aos ferimentos e morreu. O outro jovem atingido está internado no Hospital Regional de Sobradinho.







Redes sociais


Aos 16 anos, o principal suspeito tem várias passagens pela polícia, incluindo um homicídio praticado em maio deste ano. Nas redes sociais, ele costuma posar armado e gosta de “brincar” de apontar a arma engatilhada para assustar os amigos, conforme mostram imagens obtidas pelo Metrópoles, mas que não podem ser divulgadas porque ferem dispositivos de proteção estabelecidos pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).




A motivação para tamanha agressividade, explica o delegado da 35ª DP, Ataliba Neto, seria a guerra entre gangues da região. O adolescente suspeito mora na quadra AR 19 de Sobrdinho e uma das vítimas residia no Condomínio Versalles.