Internacional

Advogada do movimento #MeToo investigada por assédio sexual

Existem duas denúncias, uma referente a 2014, outra a 2017 , contra a advogada Cristina Garcia, um dos rostos do movimento anti-assédio #MeToo.


bookmark_borderPOLITICA INTERNACIONAL date_range09 Fev 2018 - 13h40 personNOTICIAS AO MINUTO

Cristina Garcia, um dos principais rostos do movimento #MeToo, que tem denunciado casos de assédio sexual nos Estados Unidos, está a ser investigada por alegadamente ter assediado um funcionário da assembleia estadual da California.



Segundo o Politco, que falou com Daniel Fierro, a alegada vítima, o caso remonta a 2014. Na altura, Fierro tinha 25 anos e trabalhava de perto com a advogada Cristina Garcia.



Num jogo de softball, em Sacramento, entre os funcionários da assembleia estadual, diz Daniel Fierro, a advogada encurralou-o e apalpou-lhe as nádegas, tentado tocar-lhe também na zona genital.



Daniel Fierro diz que não reportou o caso na altura porque não queria comprometer nenhum dos seus colegas. No entanto, comentou o sucedido com o seu chefe e o caso acabou por começar a ser investigado.



O Politico refere ainda que esta não é a única denúncia existente contra Cristina Garcia. Um lobista norte-americano, que falou sob anonimato, diz que em maio de 2017 foi encurralado por Garcia, que lhe fez propostas sexuais e tentou agarrar-lhe nos genitais durante um evento de angariação de fundos para uma campanha política. Alegadamente, Garcia estaria bêbeda.



Cristina Garcia tem sido uma das vozes mais ativistas do movimento #MeToo, tendo sido referida num artigo da edição da Time que teve que escolheu as vítimas de assédio sexual que quebraram o silêncio como “Pessoas do Ano”.