Internacional

Alberto Fernández demonstra força política e exige respeito à democracia na Argentina

O presidente da Argentina, Alberto Fernández, deu resposta firme aos policiais que cercaram a residência oficial da Presidência e do governo da Província de Buenos Aires. Foi o fim de um dia tenso. Fernández anunciou a criação de um Fundo de Fortalecimento Fiscal para a Província


bookmark_borderPOLITICA INTERNACIONACIONAL date_range10 Set 2020 - 09h44 personBRASIL 247

247 - Depois da jornada tensa devido ao protesto de um grupo de policiais de Buenos Aires que se realizou diante da residência oficial do presidente em Olivos, em atitude sediciosa e golpista, o presidente Alberto Fernández anunciou a criação de um Fundo de Fortalecimento Fiscal para a província de Buenos Aires. Esses recursos serão usados ??para atender demandas da polícia, cujo aumento salarial será anunciado pelo governador Axel Kicillof nesta quinta-feira, quando ele apresentar seu plano de segurança.



 



Os protestos da polícia de Buenos Aires continuam em diferentes partes da província. 



“Nem tudo é permitido”, alertou o presidente às tropas que cercavam Olivos com as armas e patrulhas fornecidas pelo Estado. “Posso entender qualquer reclamação e qualquer demanda, o que não estou disposto é aceitar certas formas de demanda que nada têm a ver com a vida democrática”, disse o presidente ao lado do governador, prefeitos, autoridades nacionais e autoridades legislativas. 



Grande parte dos políticos, sindicalistas e ativistas de movimentos sociais manifestou seu apoio ao presidente de diferentes maneiras. 



O ex-presidente Mauricio Macri, silenciou durante toda a jornada. por exemplo, não achou necessário dizer nada.



“Todos queremos resolver os problemas da Argentina, mas o faremos cumprindo as regras da democracia e respeitando as instituições”, destacou Fernández. "Peço-lhe democraticamente que rebaixem essa atitude", insistiu. O presidente agradeceu o apoio recebido durante o dia daqueles que entendem que “a democracia é o único caminho”.



Durante o pronunciamento, Fernández reuniu além do governador da província de Buenos Aures, Axel Kicillof e sua vice, também prefeitos e deputados de sua base de apoio e da oposição, informa o Página 12