QUENOTICIAS E REGIÕES

Aprovada MP relatada por Mariana Carvalho que destina recurso para vacina de Oxford

Acordo entre a Fiocruz e farmacêutica AstraZeneca garante a produção de 100 milhões de doses


bookmark_borderARIQUEMES POLITICA date_range03 Dez 2020 - 05h50 personDJAIR ASSESSORIA MARIANA CARVALHO

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (2) a Medida Provisória 994 que destinou R$ 1,995 bilhão para o Ministério da Saúde viabilizar, pela Fiocruz, a produção de 100 milhões de doses da vacina de Oxford contra a Covid-19. A Deputada Mariana Carvalho foi a relatora da matéria. 



O texto segue agora para análise do Senado. A matéria precisa ser aprovada até esta quinta-feira (3) para não perder a validade. A proposta foi aprovada na Câmara de maneira unânime em votação simbólica.  



Por se tratar de uma medida provisória, o recurso foi liberado logo que a MP foi editada. Mariana Carvalho explica que a maior parte do dinheiro já foi empenhado. Apenas, cerca de R$ 400 milhões ainda precisam ser destinados.



A vacina é desenvolvida pela farmacêutica AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford, do Reino Unido. Como ainda estava em fase de testes, o Brasil assumiu parte dos riscos tecnológicos do desenvolvimento da vacina. Também adquiriu a transferência de tecnologia, o que garantirá a autossuficiência do Brasil na produção. 



“A nossa briga é pra salvar vidas. A população espera por uma vacina que seja segura e eficaz. Não importa se é a vacina a, b ou c. Nesse momento, pelo reconhecimento à Fiocruz e seu trabalho no desenvolvimento de vacinas há mais de um século, estamos garantindo essa produção. Da mesma forma, devemos encontrar caminhos para garantir a produção de outras vacinas por outros institutos”, afirmou a Deputada. 



Mariana não acatou no relatório as emendas apresentadas por outros deputados que pretendiam que parte dos recursos fossem direcionados ao Instituto Butantan, responsável pela fabricação da vacina CoronaVac em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac.



“Quero deixar meu agradecimento a todos os deputados e também ao governo de São Paulo pelo entendimento e a grandeza de entenderem que, neste momento, não caberia atender essas emendas”, ressaltou, ao destacar a necessidade de atendimento também ao instituto. 



Conforme lembrou a Deputada, o recurso aprovado vai garantir a produção de 100 milhões de doses. Terão que ser aplicadas duas doses em cada pessoas. “Ou seja, são inicialmente 50 milhões de pessoas imunizadas de um total de mais de 200 milhões de brasileiros. Por isso é importante que outras vacinas também sejam reconhecidas”, afirmou. 



De acordo com o Plano de Imunização divulgado pelo Ministério da Saúde, inicialmente a vacinação contra a Covid deverá seguir quatro fases, com previsão de início para março.



Na primeira delas a prioridade são trabalhadores de saúde, pessoas de 75 anos ou mais e idosos em instituições de longa permanência (como asilos), bem como povos indígenas.



A segunda fase será focada nos idosos de 60 a 74 anos. A terceira fase para pessoas com comorbidades, como cardiopatias e doenças renais crônicas, etc. E a quarta fase será para professores, forças de segurança, trabalhadores do sistema prisional e presos. 



Os quatro segmentos correspondem a 109,5 milhões de pessoas.



“Para mim, essa MP é a MP da esperança; esperança de que deixaremos esse vírus no passado, não mais do presente,  de que teremos dias melhores” concluiu Mariana.