Política

Bolsonaro sanciona lei que cria o Dia do Rodeio na data dedicada a São Francisco, protetor dos animais


bookmark_borderPolítica date_range06 Dez 2019 - 06h15 personDCM

Publicado originalmente no blog do autor



O governo e seus cúmplices escolhem nomes e datas para expressar suas crueldades em todos os detalhes. Bolsonaro sancionou a criação do Dia do Rodeio, a ser comemorado em 4 de outubro, a mesma data em que se celebra o Dia Internacional dos Animais e seu padroeiro, São Francisco de Assis.



O Globo informa que a decisão foi publicada no Diário Oficial desta quinta-feira. A data foi escolhida “por ser mundialmente reconhecida como o Dia dos Animais e também o Dia de São Francisco de Assis, um dos santos mais queridos na comunidade católica e padroeiro dos animais”.



A lei sancionada por Bolsonaro surgiu a partir de um projeto do deputado Capitão Augusto (PL-SP). O autor do projeto ressaltou a importância dos rodeios, “uma modalidade de esporte que tem inequívoco significado cultural, além de sua relevante dimensão econômica”.



Uma data para exaltar os que fazem eventos milionários para maltratar os animais, no dia dos animais. É mais um deboche deles.



É aquela história. Os bolsonaristas pediram que arranjassem um racista para presidir a Fundação Palmares, que existe, entre coisas, para combater o racismo. Radicalizaram e acharam um negro racista.



Agora, essa lei que festeja o Dia dos Rodeios já é uma afronta por exaltar os que maltratam animais. Pois não basta que exista o dia dos que cansam os bichos para se divertir, mas que seja o mesmo dia já dedicado aos animais e ao seu padroeiro.



O projeto de lei proposto pelo governo, que acaba com as cotas das empresas para pessoas com deficiência, foi apresentado agora, dia 3, exatamente o Dia das Pessoas com Deficiência. Por perversidade do bolsonarismo.



E assim a extrema direita avança, com o apoio de muitos negros, de pobres, de familiares de pessoas com deficiência e de católicos franciscanos e de pretensos defensores dos animais.



Se proibiram animais em circos, por que não proíbem em rodeios e festas em que são maltratados pelo bolsonarismo, antes mesmo de o bolsonarismo existir como existe hoje. Mas já era bolsonarismo.