Política

Bolsonaro violou lei eleitoral ao omitir posse de comitê de campanha em Belo Horizonte

Jair Bolsonaro omitiu à Justiça Eleitoral informação relevante sobre o uso de imóvel em Belo Horizonte em sua campanha à Presidência da República em 2018, cometendo assim violação da lei


bookmark_borderBRASIL POLITICA date_range07 Dez 2019 - 05h46 personBRASIL 247

247 - Jair Bolsonaro cometeu violação da lei eleitoral ao omitir da justiça informação sobre uso de comitê eleitoral na campanha eleitoral de 2018. Trata-se do que era considerado o Quartel-General da campanha eleitoral de Jair Bolsonaro em Belo Horizonte, um imóvel de 3.500 metros quadrados na principal artéria da Pampulha, a avenida Antonio Carlos, informam os jornalistas Rubens Valente e Fernanda Canofre, em reportagem na Folha de S.Paulo.



Porém, nenhum gasto ou cessão do imóvel foram declarados à Justiça Eleitoral nem pela campanha de Bolsonaro nem pela dos aliados, o que contraria a lei eleitoral, segundo três especialistas ouvidos pelo jornal.  



Um documento da Prefeitura de BH mostra que o imóvel pertence a uma empresa, a concessionária de veículos Brasvel. Um dos donos, Eduardo Brasil, confirmou à reportagem que o imóvel foi “cedido” a um grupo de bolsonaristas. Mas desde 2015 as doações de empresas para campanhas eleitorais são proibidas, o que mostra que BOlsonaro violou a lei.  



Desde que foi eleito, Bolsonaro se vangloria de a sua campanha ter desembolsado apenas R$ 2 milhões no país. Assim, só o valor não declarado do imóvel da capital mineira representa mais de 8% de todo o gasto oficial da campanha de Bolsonaro.  



Trata-se de mais uma grave irregularidade cometida pela campanha de Bolsonaro. No mês passado, a Folha também revelou que ao menos R$ 420 mil (parte dele, dinheiro público do fundo eleitoral) foram usados para a confecção de 10,8 milhões de santinhos, adesivos, panfletos e outros materiais, isoladamente ou em conjunto com outros candidatos do PSL, sem que tivesse sido declarado pela campanha de Bolsonaro.