Judiciário

Chegou a vez dos ‘artistas’: Moro questiona se Gil sabia da roubalheira no PT


bookmark_borderBRASIL JURÍDICO date_range10 Ago 2018 - 07h22 personCESAR WEIS

Em oitiva transmitida por videoconferência do Rio, o cantor Gilberto Gil foi ouvido como testemunha do ex-presidente Lula no caso do sítio de Atibaia.



A audiência, que durou cerca de 10 minutos, começou com indagações feitas por Cristiano Zanin, advogado de defesa de Lula.



Zanin pediu para que Gil explicasse suas funções durante o tempo em que ocupou o cargo como ministro da Cultura de Lula.



Em seguida, questionou se sabia de algum malfeito do ex-presidente naquele período.



Gil negou que tenha ouvido ou presenciado atos ilegais, como a compra de apoio parlamentar.



Em seguida, Moro inicia uma série de questionamentos.



O magistrado quer saber se Gil convivia com José Dirceu, Antonio Palocci e o marqueteiro João Santana.



Nenhum desses personagens é investigado na ação penal de Atibaia.



Em seguida, pergunta se Gil sabia do envolvimento deles em esquemas de corrupção e lavagem de dinheiro.



Gil nega.



"Você tem conhecimento de que tanto o senhor Palocci quanto João Santana são réu confessos em relação aos crimes de corrupção e lavagem?", prossegue o juiz.



"Tenho ouvido notícias a respeito dessa possibilidade", diz Gil.



"Mas na época o senhor não tinha conhecimento?", continua Moro.



Gil, então, responde que não, e Moro encerra a sessão.



Assista à sessão no vídeo abaixo:





(Veja.com)