Economia

Destaque nos anos 2000 , Celta continua vendendo bem nas revendas de usados

Com um perfil econômico e custo benefício, o Chevrolet Celta é uma ótima opção de seminovo para quem não tem muito investimento


bookmark_borderBRASIL ECONOMIA date_range17 Out 2020 - 08h04 person Paola Kay Marketing Digital

A possibilidade de economizar na compra de um veículo diante da falta de uma boa quantia para dar de entrada ou sem condições de adquirir um modelo dos sonhos, completo e de alto padrão, torna-se viável com a revenda de carros que oferecem ótimos modelos seminovos e usados. Estes, em sua maioria, em ótimo estado de conservação, são boas opções de ter um carro de qualidade que, mesmo de segunda mão, conseguem oferecer as mesmas vantagens e benefícios de um modelo zero km. Isso porque os carros novos apresentam significativa desvalorização assim que saem da concessionária e, muitos deles, essa perda de valor pode ser bem alta em até um ano de uso, mesmo que não tenha sofrido grandes avarias ou acidentes. Nesse contexto, atraem uma outra faixa de público que buscam por um modelo mais barato e econômico como o Chevrolet Celta, lançado em 2000 e que teve as últimas unidades disponibilizadas em 2016. Um carro com boa liquidez e bem visto pelos consumidores de usados e que, segundo a Fenabrave, figura entre os cinco modelos mais negociados no mercado. Configurado numa versão simples e com um pacote mais enxuto de equipamentos, o Celta é ideal para aqueles que pretendem adquirir um modelo para vida urbana e deslocamentos comuns do dia a dia, ou seja, com um ótimo custo benefício que poucos modelos populares apresentam.



Equipamentos



O pacote de itens do Celta correspondem a um modelo mais vanguardista da categoria e que permitem uma dirigibilidade segura e confortável. São eles: sistema de ar-condicionado, direção hidráulica, conjunto de vidros dianteiros elétricos, quadro de instrumentos com conta-giros e medidor de temperatura, sistema de travamento central das portas, limpador e desembaçador traseiro, banco traseiro rebatível, conjunto de rodas de aço aro 13. Por ser um carro menor e ser desenvolvido com intenções mais compactas, o Celta se adequa a diferentes situações e espaços, facilitando a vida dos motoristas, principalmente os menos experientes. Seu comprimento total é de apenas 3,78 metros com 2,44 metros de distância entre-eixos. O porta-malas tem uma capacidade de 260 litros de bagagem, mais indicado portanto para  clientes solteiros ou um casal sem filhos. Por mais que apresente pouco espaço interno, o carro não será 



empecilho para as rotinas do dia a dia, mas pode se tornar insuficiente para aqueles que tenham muita bagagem com filhos, por exemplo.  Em contrapartida as medidas modestas do hatch gaúcho caracteriza-se como um diferencial ao oferecer uma excelente praticidade no trânsito, principalmente para estacionar. A largura fica em torno de  1,62 metros  que certamente exigirá um pouco de fôlego dos ocupantes que não gozam de tanto espaço, mas por outro lado facilita muito para se adaptar aos congestionamentos e às  diferentes vagas em estacionamentos.



Consumo e Desempenho



O  celta é bum veículo caracteristicamente econômico permitindo desenvolver bons percursos com pouco gasto de combustível. Nos testes com modelos novos, a média de consumo do Celta historicamente girou entre 9,8 km/l com gasolina e 7,5 km/l com álcool, o que vale analisar ao comprar um Celta seminovo. Ao considerar automóveis usados, esse consumo tende a variar de modelo para modelo pois dependerá do estado dos pneus, cabos, velas, bobina, filtros e outros itens que podem exigir mais esforço do veículo durante as rodagens. Mesmo assim, o celta tem comportamento esperto e dinâmico oferecendo uma condução agradável dentro da sua proposta. A dirigibilidade é boa, permite boas arrancadas e a posição da direção é confortável, a visibilidade agrada, apesar de o pico torque aparecer com o motor cheio. Por se tratar de uma mecânica mais simples, pode ser necessário, numa situação de maior exigência, como ultrapassagem que pedem mais aceleração e velocidade, o giro chegar no limite e a central eletrônica cortar a alimentação.



No entanto, a caixa manual de cinco marchas segue o bom padrão das transmissões da GM. Vale lembrar que, antes de decidir o modelo usado para levar para casa, não deixe de consultar um especialista ou mecânico experiente da sua confiança, para ajudar e opinar sobre as condições estruturais, lataria e mecânica da unidade em questão a fim de verificar a atual situação do veículo. Verifique também o histórico de manutenções e revisões, se tem algum acidente registrado, se a documentação está toda em dia e se as prestações, caso houver, estejam todas quitadas. Outra dica refere-se aquisição do veículo ao fechar a compra: antes de levar para casa, invista uma revisão geral e troque todos os itens que desgastam com facilidade, mesmo que o antigo proprietário garanta que esteja tudo em ordem.



Nosso artigo contribuiu para esclarecer suas dúvidas sobre mercado de seminovos e usados? Então siga as nossas redes sociais e acompanhe nossas novidades.