QUENOTICIAS E REGIÕES

Editorial – Candidatos apoiados pelo prefeito Thiago Flores amargam derrota


bookmark_borderARIQUEMES POLITICA date_range08 Out 2018 - 14h59 personFOLHA NOBRE

Nem o candidato a deputado federal, Tiziu Jidalias (Solidariedade), nem o candidato a deputado estadual, Chico Pinheiro (PP), conseguiram se eleger. Os dois foram apoiados pelo prefeito de Ariquemes, Thiago Flores (PSL). Tiziu fez 28.577 votos, e Chico Pinheiro 3.276 votos.



O significado da derrota destes dois candidatos vai muito além das vagas perdidas, ou dos benefícios que Ariquemes passa a perder.



O apoio do prefeito a somente um candidato a deputado estadual ou federal, que já tinham suas derrotas previstas, tanto pela coligação difícil de se eleger, como pelas pesquisas que davam sinais dessa baixa votação, mostram o baixo desempenho em articulação política de Thiago Flores.



Alguns pontos são relevantes para comentar sobre este assunto:



Primeiro, o prefeito não possui grupo político algum do seu lado.



Segundo, ao sair do MDB, partido que o elegeu, foi visto como um traidor por toda a turma emedebista.



Terceiro, Ariquemes reelegeu dois deputados estaduais, Adelino Follador (DEM) e Alex Redano (PRB), que junto com os que não foram reeleitos, Saulo Moreira (MDB) e Geraldo da Rondônia (PSC), enviaram milhões em recursos para dar uma forcinha pra gestão municipal.



Quarto, o fato do candidato ao Governo, Coronel Marcos Rocha (PSL), ter conquistado o segundo turno também é frustrante para o alcaide ariquemense, mesmo sendo do mesmo partido, não houve dedo de Flores nesta conquista do candidato do Bolsonaro. Pois Flores estava com o grupo de Acir Gurgacz (PDT), que ficou inelegível para votação, e na foto acima prova que apoiou o candidato do MDB ao Governo, Maurão de Carvalho.



Quinto, o novo jeito de fazer política custará caro para Ariquemes, uma vez que o mandatário, ao invés de ficar neutro, ou dar apoio para todos os candidatos que já haviam ajudado sua cidade com recursos, fez diferente, deixando todos com um pé atrás quanto a confiabilidade e segurança política, fator que também é importante para o novo jeito de fazer política.



Sexto, Ariquemes perde de todas as maneiras com o baixo desempenho em articulação política de Flores, tanto que seu mandato está por um fio na Justiça, ao responder a uma Ação Civil Pública por improbidade administrativa, onde é acusado de acobertar dentistas fantasmas em sua gestão.



Sétimo, quem vai querer fechar com Flores para cabo eleitoral novamente? Acreditamos que depois dessas, nem pagando.



Oitavo, a baixa popularidade do prefeito, assim como o não cumprimento da maioria das promessas de campanha, são motivos para que os candidatos que tinham chances reais de se eleger manterem distância pra não se queimar.