Esporte

Fluminense mostra que sabe jogar e sofrer sob o comando de Marcão

Treinador comanda o time pela primeira vez como efetivado no cargo e Tricolor vence o Botafogo, quebrando o jejum de vitórias em clássicos


bookmark_borderQUENOTICIASESPORTES date_range07 Out 2019 - 06h33 personLANCE.COM.BR/Joel Silva

O Fluminense venceu, de certa forma convenceu e justificou os três pontos conquistados sobre o Botafogo, no Nilton Santos. A vitória por 1 a 0 serviu para acabar com qualquer desconfiança em relação ao técnico Marcão, efetivado no cargo na última sexta-feira. Foi nítido que os jogadores compraram o barulho do treinador e correram por ele. Em troca, o ex-volante montou o time em harmonia com o que pensa o elenco. 



MANUTENÇÃO DO DNA...




Botafogo x Fluminense


Allan representa o estilo do Flu (Celso Pupo/Fotoarena/Lancepress!)



No primeiro jogo de Marcão efetivado como técnico, o Fluminense resgatou as suas principais características, que é a posse de bola e a troca de passes. O Tricolor, principalmente antes de abrir o placar, já tinha o controle de jogo e criava mais chances que o adversário, aproveitando bastante a mobilidade de Yony e Nenê, além dos avanços dos laterais. O trio do meio-campo formado por Allan, Daniel e Ganso, faz a equipe ser bastante cerebral.



 


...E UMA PITADA DE PRECAUÇÃO



 



Com peças bem ofensivas no time, Marcão fez questão de promover apenas uma mudança em relação ao método de jogo do Fluminense. Contra o Botafogo, assim como foi diante do Grêmio, o time não marcou tanto no campo de ataque, priorizando fechar os espaços no campo defensivo. Com isso, a equipe ficou mais segura, não dando chances para o Botafogo finalizar no primeiro tempo. 



 


GOL DA CONFIANÇA




Botafogo x Fluminense


Yony deu a vitória ao Tricolor (Lucas Merçon/Fluminense)



No fim do primeiro tempo o Fluminense abriu o placar, situação que estava para acontecer, apesar de ter criado poucas chances claras de gol. O detalhe é que o gol foi construídos por Gilberto e Yony, jogadores que não viam tendo boas atuações. O lateral-direito foi o responsável pelo cruzamento para o colombiano, que cabeceou com estilo no canto, encerrando um jejum de 11 partidas sem marcar. Com o gol, o atacante se isolou na artilharia do Tricolor na temporada, com 16, um a mais que Luciano, que defende o Grêmio. Tanto Yony, quanto Gilberto, vinham sendo pressionados pelos torcedores. 



 


PRECISA SE JUSTIFICAR



 



No segundo tempo, o Fluminense adotou uma postura totalmente voltada para o contra-ataque. Troca de passes, apenas no campo de defesa. Por conta disso, correu mais atrás do adversário e com isso, se desgastou mais. Marcão sacou Daniel, um dos melhores em campo e, posteriormente Ganso, para as entradas de Guilherme e Wellington Nem. Ambos são jogadores experientes e possuem um nome no futebol, porém, mais uma vez, não empolgaram. O meia, que não jogava desde a derrota para o São Paulo, no dia 27 de julho, pouco tocou na bola e não foi visto na marcação. Já o atacante, até mostrou a antiga característica, a famosa arrancada, mas novamente perdeu um gol de cara, que poderia ter feito falta. 



 


SOUBE SOFRER




Botafogo x Fluminense


Aílton e Marcão começaram com o pé direito (Lucas Merçon/Fluminense)



O Fluminense perdeu muitos pontos no fim dos jogos deste Campeonato Brasileiro. Dessa vez a história foi diferente. O Tricolor suportou a pressão do Botafogo, correu e lutou até o fim e conseguiu sair de campo com a vitória. Muriel, quando exigido, mais uma vez foi determinante, evitando uma ótima cabeça de Pimpão. No mais, o goleiro não sofreu tanto, méritos do sistema defensivo, que não levou gol. A vitória faz o time de Marcão se distanciar da zona de rebaixamento. O antigo interino, conseguiu o que Diniz e Oswaldo não conseguiram, duas vitórias consecutivas no Brasileiro. Começou com o pé direito o ídolo tricolor.