Economia

Guedes revela o que falta para o Renda Brasil chegar ao valor de R$300

Guedes mostrou propostas de parcelas entre R$ 240 e R$ 270, com extinção ou reformulação de vários programas


bookmark_borderBRASIL ECONOMIA date_range04 Set 2020 - 07h29 personJORNALISTA SAULO MOREIRA

Uma reunião entre Paulo Guedes, ministro da Economia, e o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi feita para tratar os detalhes do Renda Brasil, novo programa do governo que será lançado oficialmente em breve. A última reunião não terminou em consenso.



O ministro da Economia alertou Bolsonaro que o Renda Brasil só conseguirá ser um benefício médio de mais de R$ 300 se houver extinção das deduções do Imposto de Renda (IR) de pessoa física.



O Renda Brasil, que irá substituir o Bolsa Família, teve seus detalhes apresentados por Guedes. O ministro mostrou propostas de parcelas que variavam entre R$ 240 e R$ 270. Para o ministro, o valor depende da extinção de outros programas. Mas o presidente Bolsonaro pressiona para que o valor seja de pelo menos R$ 300.



De acordo com a Folha de S. Paulo, o ministro prevê que sejam reformulados ou extintos até 27 programas e benefícios sociais para que o Renda Brasil seja criado. Ainda assim, mesmo no melhor cenário, o benefício não chegaria a ter rendimento de R$ 300. Atualmente, o valor médio do Bolsa Família é de R$ 190.



A equipe econômica do governo também calcula que o Renda Brasil seja mais abrangente. Atualmente, o Bolsa Família atende cerca de 14 milhões de pessoas. A expectativa é que o Renda Brasil alcance um adicional de 6 a 8 milhões de pessoas.



Bolsonaro e Renda Brasil



A equipe econômica do governo passou o fim de semana calculando formas para fechar o Orçamento de 2021 e as formas de financiar o programa Renda Brasil e a nova prorrogação do auxílio emergencial.



Até o último domingo (30), técnicos do governo afirmaram que a proposta do Orçamento de 2021 não continha recursos para o Renda Brasil e que mantinha os programas que o governo cogita extinguir para criar o novo programa. O Renda Brasil deve ser um substituto do Bolsa Família.



De acordo com o Correio Braziliense, diversas áreas importantes reclamaram que tiveram cortes para o Orçamento do ano que vem e tentarão recuperar o dinheiro quando a lei orçamentária estiver sendo analisada no Parlamento.



O governo também sofre impasse sobre o Renda Brasil. O presidente falou publicamente que descartou a proposta enviada por sua equipe econômica. A proposta previa que o Renda Brasil fosse criado após a extinção de diversos atuais programas, como o abono salarial.