Religião

Joelhos ao chão, cabeça em solo sagrado, respeito e brilho no olhar revelavam quem tinha chegado.


bookmark_borderRELIGIÃO E FÉ date_range29 Dez 2017 - 13h47 personManuela Campero.

O ponto entoava a magia de um Caboclo, que das matas veio a beira do rio nos ensinar a atravessar, e com seus conselhos e sua seriedade de Pai, nos ajudar...



Joelhos ao chão, cabeça em solo sagrado, respeito e brilho no olhar revelavam quem tinha chegado. 

Um charuto, uma pemba, água na cuia, era mais uma noite de trabalho e para nós, mais uma oportunidade de estar perto de quem cuida.




Um olhar e logo entendi onde deveria estar, me abaixei e logo ele começou a falar:



"Filha, vocês buscam explicações para o que não tem como explicar, perdem tempo com isso quando podem continuar a caminhar, o que passou, passou, não tem como mudar. 

Os problemas que cercam a vida fazem parte dessa jornada, só vocês tem o poder de simplificar ou tornar ela mais complicada, e continuam a confundir tudo, culpar toda essa Caboclada por problemas que vocês mesmos criam. Se esquecem que Caboclo vem aqui por amor, para ajudar toda essa filharada, porque essa é a missão de Caboclo, mas Caboclo não pode dar caminho para quem não sabe para onde quer ir, não pode ajudar quem não quer ser ajudado e não pode dar para quem não sabe o que busca, quem não merece o que pede. Se você se acha merecedor já não sabe mais o que é humildade, se diz ter fé mas não acredita, não conhece a verdadeira magia do espirito, da espiritualidade.



Caboclo sabe que essa missão não é fácil e também sabe que desistir nunca será o caminho, porque vocês podem escolher dar as mãos, remar juntos numa mesma direção, ou caminhar sozinhos, o que vai tornar tudo ainda mais difícil. Ele confiou em vocês para isso e Caboclo tem certeza que ele não confiou atoa.



Diga aos outros o recado que vim deixar... Vamos trabalhar."



Pouco falei depois disso, naquela noite recebemos muito mais do que paz de espírito, tivemos aprendizados e uma prova do amor infinito que nos cerca. Seu nome? Caboclo Tupinambá.

Agô, meu Pai ????