Policial

Mulher usa APP e descobre que namorado estuprava cunhada de 14 anos

Segundo as informações, o suspeito mantinha relações sexuais com a vítima desde o mês de maio


bookmark_borderCASOS DE POLICIA date_range20 Nov 2020 - 06h51 personBRASIL 123/De Alisson Henrique

Uma mulher pode ter desvendado um crime usando um aplicativo espião. Isso porque um homem de 35 anos está sendo acusado de estuprar a própria cunhada, de apenas 14 anos, em Salvador (BA). Segundo as informações, o suspeito mantinha relações sexuais com a vítima desde o mês de maio, sendo que o último abuso teria ocorrido no dia 22 de setembro.



Leia também: Homem que se passava por mulher nas redes sociais para atrair adolescentes é preso



Quando o crime aconteceu pela primeira vez, a garota tinha apenas 13 anos. Todavia, o suposto crime foi descoberto na última segunda-feira (16). A descoberta veio porque a namorada do suspeito instalou um aplicativo espião no celular do ex-companheiro. Esse aplicativo realizou a gravação do som ambiente.



“Eu tenho uma filha. Para você ter noção, a família do pai tomou a minha filha, alegando que ia tomar a guarda dela porque eu confiei minha filha a ele [ao acusado de estupro]. Eu não sei se ele fez alguma coisa com minha filha. Estou com medo”, disse, em lágrimas, a mulher em entrevista à rede Record.



Após a descoberta, a adolescente confessou aos familiares que foi forçada a ter relações sexuais com o suspeito. “Minha irmã me contou que ele vem fazendo isso com ela desde maio e ela ficou com medo de contar por causa das ameaças”, acrescentou.



Conversas de WhatsApp mostram o homem pedindo desculpas pelo crime. Além disso, em um dos trechos o suspeito afirma “estar arrependido” e pede perdão para a mulher.





Uma queixa foi registrada na DERCCA (Delegacia de Repressão a Crimes contra Crianças e o Adolescente). De acordo com a Polícia Civil do estado da Bahia, a vítima recebeu as guias para exames periciais no Departamento de Polícia Técnica. A corporação aguarda o resultado dos laudos para definir os próximos passos da investigação.