Policial

PF apreende documentos na casa de candidato a deputado estadual após divulgação de áudio em WhatsApp sobre R$ 300 mil para campanha

PF apreendeu documentos e celulares na casa do candidato a deputado estadual Joaquim Lira, em Brasileia. Diretório diz que dinheiro era de uma conta legal e candidato fez uma 'brincadeira'


bookmark_borderCASO DE POLICIA date_range14 Set 2018 - 09h46 personG1 - Notícias

A Polícia Federal no Acre (PF-AC) cumpriu três mandados de busca e apreensão na casa do candidato a deputado estadual pelo Partido Progressista Acre Joaquim Lira. A ação ocorreu na manhã desta quinta-feira (13) na cidade de Brasileia, interior do Acre.



A direção do partido informou que a polícia foi até a casa do candidato após o vazamento de um áudio em um grupo do WhatsApp. No áudio, um homem, que seria o candidato, diz que está na casa de um amigo separando R$ 300 mil para segunda-feira ‘botar a campanha na rua’.



No final do áudio, o homem diz que o dinheiro é para pagar lanche para os cabos eleitorais dele. O candidato prestou esclarecimentos na delegacia de Epitaciolândia, e foi liberado no final da tarde desta quinta.



O G1 tentou contato com Lira, mas não obteve sucesso até esta publicação. O presidente do diretório, José Bestene, confirmou que é o candidato no áudio. Porém, ele disse que a informação repassada é que Lira recebeu o dinheiro de uma conta legal e fez uma brincadeira em um grupo.



“O que eu soube do vereador Valadares, que é advogado, é que ele tinha uma conta para receber, recebeu e fez uma brincadeira em um grupo e resultou nisso. Ele já deve ter dado depoimento, com certeza quem apreendeu vai verificar se tem fundo de verdade”, explicou Bestene.



A polícia informou que os documentos apreendidos não são de campanha eleitoral. Ressaltou também que ações como essas são comuns em época de eleição.



Ainda segundo a PF-AC, além de documentos foram apreendidos também celulares e outros equipamentos de mídia na casa do candidato.