Policial

PF prende filho de ex-ministro Lobão durante 65ª fase da Lava Jato

Em conjunto com o Ministério Público Federal e a Receita Federal, a polícia cumpre um mandado de prisão preventiva e 11 de busca e apreensão


bookmark_borderCASOS DE POLICIA date_range10 Set 2019 - 07h50 personMETRÓPOLES/THAÍS PARANHOS

Bem vindo ao Player Audima. Clique TAB para navegar entre os botões, ou aperte CONTROL PONTO para dar PLAY. CONTROL PONTO E VÍRGULA ou BARRA para avançar. CONTROL VÍRGULA para retroceder. ALT PONTO E VÍRGULA ou BARRA para acelerar a velocidade de leitura. ALT VÍRGULA para desacelerar a velocidade de leitura. Ouça: PF prende filho de ex-ministro Lobão durante 65ª fase da Lava Jato 0:00 01:34




Polícia Federal prendeu, na manhã desta terça-feira (10/09/2019), Márcio Lobão, filho do ex-ministro Edison Lobão, na 65ª fase da Operação Lava Jato, batizada de Galeria. A suspeita é de que Márcio era o responsável por fazer ajustes no pagamento e coletar propinas que seriam atribuídas ao pai.



Em conjunto com o Ministério Público Federal (MPF) e a Receita Federal, a PF cumpre um mandado de prisão preventiva e 11 de busca e apreensão em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Brasília.



Agentes investigaram suspeitas de crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, que seriam em decorrência do pagamento de propinas relacionadas a contratos com os grupos Estre e Odebrecht para a construção de usina hidrelétrica no Pará e em ações relacionadas à Transpetro, subsidiária da Petrobras.



Segundo a PF, “valores indevidos teriam sido incorporados, com o decorrer do tempo, ao patrimônio dos investigados por meio de complexas operações de lavagem de dinheiro, tais como transações sobrevalorizadas de obra de artes, inclusive em nome de laranjas, simulações de compra e venda de imóveis e de empréstimos, depósitos fracionados em espécie e utilização de contas e transações financeiras no exterior”.



Márcio Lobão teria recebido, de acordo com a PF, mais de R$ 10 milhões pagos pelos grupos investigados. O filho do ex-ministro foi preso no Rio, mas será conduzido para a Superintendência Regional de Polícia Federal no Paraná.