ENERGIA & MEIO AMBIENTE

Recorde nas renováveis faz descer preço da eletricidade em 10%

Março de 2018 foi o segundo mais chuvoso desde 1931, o que contribuiu para terminar a situação de seca meteorológica, diz a APREN.


bookmark_borderMEIO AMBIENTE date_range11 Abr 2018 - 09h00 personBárbara Silva

O primeiro trimestre de 2018 ficou marcado por um recorde nas renováveis: pela primeira vez desde sempre, no mês de março a produção elétrica de origem renovável ultrapassou as necessidades de consumo de Portugal continental, o que permitiu: reduzir em 10% o preço da eletricidade no mercado grossista; obter um saldo exportador de eletricidade de 878 GWh; evitar a emissão de 1,8 milhões de toneladas de CO2, refere o mais recente boletim da APREN. “O resultado favorável alcançado no mês de março impulsionou o balanço positivo das fontes de energias renováveis no primeiro trimestre de 2018, isto porque os meses de janeiro e fevereiro foram bastante secos”, refere o documento. Já o mês de março foi o segundo mais chuvoso desde 1931, o que contribuiu para terminar a situação de seca meteorológica que se verificava em Portugal desde abril de 2017, diz a APREN.



Nos primeiros três meses do ano, as fontes de energias renováveis contribuíram com 62% (9.382 GWh) da produção elétrica de Portugal continental (15.098 GWh), sendo que a tecnologia que mais eletricidade gerou foi a eólica (29,6 %) seguida da hídrica (26,8 %). No que diz respeito ao preço médio diário do mercado grossista da eletricidade, no primeiro trimestre de 2018 foi de 48,8 euros/MWh. “Em março, a produção renovável mais elevada de sempre potenciou uma redução do preço no mercado ibérico próxima de 10%, originando um preço médio de 39,75 euros/MWh”, refere o boletim, acrescentando ainda que “a produção renovável nacional contribuiu para a obtenção de um saldo exportador entre a Península Ibérica e os sistemas elétricos vizinhos (Marrocos e França)”.