Economia

Renda Brasil é CONFIRMADO após fim do auxílio de R$300

Onyx Lorenzoni garante início do programa logo após o fim do auxílio, que vai até dezembro


bookmark_borderBRASIL ECONOMIA date_range14 Set 2020 - 05h58 personJORNALISTA SAULO MOREIRA

O governo Bolsonaro estuda formas de lançar o Renda Brasil, novo programa que irá substituir o Renda Brasil e outros benefícios. No entanto, ainda não há consenso sobre a criação do programa.



Na última terça-feira (08), o presidente Jair Bolsonaro chegou a afirmar que o Renda Brasil seria caro demais para sair do papel. Já Onyx Lorenzoni, ministro da Cidadania, afirmou hoje que o Renda Brasil “está pronto” e que será lançado assim que o pagamento do auxílio emergencial ser concluído em dezembro.



“O programa está pronto, são coisas diversas. O que cabe ao Ministério da Cidadania é montar um programa de renda mínima que possa fazer os pilares do mérito e da qualificação, e fazer com que as famílias prosperem. A partir daí, o que nós tomamos como decisão do governo é que nós concluiríamos o auxílio emergencial. Então, nós estamos muito seguros com a qualidade do Renda Brasil, dos impactos positivos que ele terá na vida das pessoas e na condição de emancipação que ele vai gerar na vida das pessoas”, afirmou Onyx.



No fim do primeiro semestre, o Renda Brasil ganhou força nos bastidores do governo. Isso aconteceu após o Palácio do Planalto perceber a popularidade de Bolsonaro crescer com programas de transferência de renda como o auxílio emergencial. Inicialmente, o governo cogitou fazer o novo programa substituir o Bolsa Família, abono salarial, seguro-defeso e Farmácia Popular. A sugestão de Paulo Guedes, ministro da Economia, era de pagamento médio de R$ 247.



Com a repercussão negativa de substituição de vários benefícios, Bolsonaro pediu que o modelo do Renda Brasil fosse reelaborado. O presidente falou publicamente que era contra o novo programa substituir outros benefícios, como o abono salarial.



Paulo Guedes e Renda Brasil



Uma reunião entre Paulo Guedes, ministro da Economia, e o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi feita para tratar os detalhes do Renda Brasil, novo programa do governo que será lançado oficialmente em breve. Até a última reunião não terminou em consenso.



O ministro da Economia alertou Bolsonaro que o Renda Brasil só conseguirá ser um benefício médio de mais de R$ 300 se houver extinção das deduções do Imposto de Renda (IR) de pessoa física.



O Renda Brasil, que irá substituir o Bolsa Família, teve seus detalhes apresentados por Guedes. O ministro mostrou propostas de parcelas que variavam entre R$ 240 e R$ 270. Para o ministro, o valor depende da extinção de outros programas. Mas o presidente Bolsonaro pressiona para que o valor seja de pelo menos R$ 300.



De acordo com a Folha de S. Paulo, o ministro prevê que sejam reformulados ou extintos até 27 programas e benefícios sociais para que o Renda Brasil seja criado. Ainda assim, mesmo no melhor cenário, o benefício não chegaria a ter rendimento de R$ 300. Atualmente, o valor médio do Bolsa Família é de R$ 190.



A equipe econômica do governo também calcula que o Renda Brasil seja mais abrangente. Atualmente, o Bolsa Família atende cerca de 14 milhões de pessoas. A expectativa é que o Renda Brasil alcance um adicional de 6 a 8 milhões de pessoas.