Judiciário

Supremo está dividido sobre anulação do processo de Lula

Os ministros avaliam que, para o universo jurídico, uma confirmação do que veio à tona seria “a pá de cal moral no veredito de Lula”


bookmark_borderBRASIL JURÍDICO date_range11 Jun 2019 - 11h40 personREVISTA FÓRUM


 




De acordo com informações do Painel, da Folha, o Supremo Tribunal Federal (STF) está dividido com relação às consequências das revelações do vazamento das conversas entre o então juiz Sérgio Moro e o procurador federal Deltan Dallagnol.



 


Uma parte deles argumenta que uma mudança é pouco provável porque as penas impostas por Moro foram referendadas pelo TRF-4.



Outro grupo, no entanto, avalia que, confirmado o teor das mensagens, será possível afirmar que Moro direcionou a ação da procuradoria desde a investigação, o que comprometeria o processo.



A coluna informa ainda que membros do Supremo e do STJ passaram a noite deste domingo (9) e todo o dia desta segunda (10) discutindo as implicações do material do The Intercept. Os ministros avaliam que, para o universo jurídico, uma confirmação do que veio à tona seria “a pá de cal moral no veredito de Lula”.



Um dos ministros do STF diz que a lei é clara ao vedar orientação do magistrado às partes e que, pelas mensagens, Sergio Moro teria direcionado o trabalho dos procuradores em ao menos dois momentos –o mais explícito deles ao supostamente indicar uma fonte à acusação.