Internacional

Turismo em Nova York só deve se recuperar em 2024, diz agência

A entidade responsável pela promoção turística de Nova York lembrou que, depois dos atentados terroristas de 11 de setembro, o fluxo de viagens internacionais levou quatro anos para se recuperar


bookmark_borderINTERNACIONAL date_range18 Nov 2020 - 10h50 personJOVEM PAN

Nova York, um dos principais destinos turísticos dos Estados Unidos e do mundo, estava a caminho de registrar um recorde no turismo em 2020. A inesperada pandemia de coronavírus reverteu as perspectivas positivas e, agora, a cidade deve fechar o ano com 22,9 milhões de visitantes, número 66% menor que o registrado em 2019. A estimativa é que a chamada Big Apple leve anos para recuperar o patamar anterior à crise de Covid-19 , segundo a agência NYC & Company, responsável pela promoção turística de Nova York. “Devido à incerteza gerada pela pandemia em relação à recuperação econômica e à confiança do consumidor nas viagens, as previsões mais conservadoras nos levam até 2024 para superar os níveis de 2019”, afirmou o órgão.



 



Depois dos atentados terroristas de 11 de setembro de 2001, o fluxo de viagens internacionais levou quatro anos para se recuperar. Como os calendários de vacinação contra a Covid-19 mais ambiciosos estimam o início da imunização no primeiro trimestre de 2021, a NYC & Company acredita que o turismo regional deve aumentar gradativamente a partir de junho do ano que vem, quando termina a primavera e começa o verão no hemisfério norte. “Se os avanços da saúde estiverem alinhados com o afrouxamento das restrições às atividades e reuniões, o ritmo pode ser mais acelerado”, afirmou a entidade. No entanto, os estrangeiros internacionais devem demorar mais para voltar a visitar Nova York: a agência estima que até o final de 2021, a cidade receba apenas dois milhões de visitantes vindos do exterior.



*Com informações da EFE