QUENOTICIAS E REGIÕES

VEREADOR LORO DA SUCAM QUER REDUÇÃO DA TAXA DE ILUMINAÇÃO DA PARÓQUIA SÃO FRANCISCO DE ASSIS.


bookmark_borderARIQUEMES POLITICA date_range22 Nov 2018 - 11h56 personAOR OLIVEIRA

O vereador Loro da SUCAM (PP) intercedeu junto ao escritório da concessionaria de energia elétrica de Rondônia – Sub sessão de Ariquemes, no sentido de que seja feito um estudo de viabilidade para que se processe a redução no valor da tarifa cobrada da Paróquia São Francisco de Assis no Setor 01.



O pedido do vereador foi corroborado por uma carta feita pelo Pe. Ivanildo Magalhães da Costa – Pároco da PSFA; de posse desse documento Loro envio o pedido O vereador reconhece “que a cobrança da tarifa de energia elétrica são componentes que pesam no orçamento da Igreja”. Diante disso, tendo conhecimento que parte da cobrança da energia elétrica é a taxa de iluminação pública que corresponde a mais de 10% do faturamento do consumo, o vereador, usando seu conhecimento jurídico e com apelo social, sugere que a concessionária reveja os valores que são cobrados atualmente. Até porque a Igreja tem vários programas sociais, tais como a distribuição de cestas básicas para famílias carentes, e o atendimento de cerca de 200 crianças e adolescentes, além de outro grande números de crianças que são assistidas pelos programas da pastoral da Criança; essas são algumas das justificativas a serem anotadas para que seja levada em conta na hora de se proceder o estudo de redução.



O vereador Loro da SUCAM (PP) intercedeu junto ao escritório da concessionaria de energia elétrica de Rondônia – Sub sessão de Ariquemes, no sentido de que seja feito um estudo de viabilidade para que se processe a redução no valor da tarifa cobrada da Paróquia São Francisco de Assis no Setor 01.



O pedido do vereador foi corroborado por uma carta feita pelo Pe. Ivanildo Magalhães da Costa – Pároco da PSFA; de posse desse documento Loro envio o pedido O vereador reconhece “que a cobrança da tarifa de energia elétrica são componentes que pesam no orçamento da Igreja”. Diante disso, tendo conhecimento que parte da cobrança da energia elétrica é a taxa de iluminação pública que corresponde a mais de 10% do faturamento do consumo, o vereador, usando seu conhecimento jurídico e com apelo social, sugere que a concessionária reveja os valores que são cobrados atualmente. Até porque a Igreja tem vários programas sociais, tais como a distribuição de cestas básicas para famílias carentes, e o atendimento de cerca de 200 crianças e adolescentes, além de outro grande números de crianças que são assistidas pelos programas da pastoral da Criança; essas são algumas das justificativas a serem anotadas para que seja levada em conta na hora de se proceder o estudo de redução.