QUENOTICIAS E REGIÕES

VEREADORES SE UNEM CONTRA A CONCESSIONARIA ÁGUAS DE ARIQUEMES E PEDEM A EXTINÇÃO DO CONTRATO

Vereadores se mobilizaram na Câmara contra a Concessionaria Águas de Ariquemes e querem a extinção do contrato celebrado entre Prefeitura e Empresa.


bookmark_borderARIQUEMES POLITICA date_range07 Nov 2020 - 05h26 personAOR OLIVEIRA

Câmara Municipal de Ariquemes está se mobilizando para acabar com o Contrato existente entre o Poder Público e a Empresa Agea. Na última quarta-feira, mais de 09 vereadores do município participaram da assinatura do Projeto de Lei que pedi a extinção do contrato. 





Com base nos relatórios das duas CPIs e consubstanciado por inúmeras denúncias recebidas em seus gabinetes, que constam desde a má qualidade da água ofertada pela empresa aos munícipes, como também a constante falta de água em alguns setores, outra grande reclamação que chega até aos vereadores é quanto a cobrança de taxa mínima que prevê valor fixo pago pelo consumidor, mesmo que este não tenha atingido consumo mínimo estipulado. Hoje, consumidores residenciais do município pagam um talão variado de valores para ter direito a até cinco metros cúbicos de água. Para consumos inferiores a esse valor, a taxa permanece inalterada. 



A iniciativa contra a permanência da Empresa Águas de Ariquemes no município começou quando da primeira instalação de uma CPI que tinha objetivo cancelar o processo licitatório e no caminho das investigações foram encontradas outras irregularidades que por si só justificava a quebra do contrato, vereadores não satisfeito com serviços prestados pela empresa e diante de tanta reclamação popular instalaram outra CPI essa com um alcance maior chegou a pedir a caducidade do contrato fato esse aparado na Lei Federal que estabelece os parâmetros das concessões públicas.



Agora a Câmara de Vereadores com um projeto de lei visa a extinção do contrato pelo órgão gestor municipal, e a mobilização segue por todos os gabinetes colocando a assunto em pauta. 



Para alguns vereadores, a posição da Câmara também é uma posição do povo do Ariquemes. “Nós estamos percebendo que a nossa água, que é um bem essencial para a vida, está sendo sim tratado como uma moeda no mercado financeiro (...) Quais dos senhores que comprasse cinco gramas de ouro ficaria feliz se fosse entregue apenas uma? E ouro não se come, ouro não se bebe, com ouro você não vive. Mas a água é a vida. As pessoas precisam da água”, comparou um vereador.