SAÚDE

Veja cuidados de higiene básicos para quem malha em academia

Aparelhos são ambientes ideais para o desenvolvimento de vírus, bactérias e fungos, que podem causar uma série de problemas de saúde


bookmark_borderBRASIL SAÚDE date_range14 Out 2019 - 06h59 personMETRÓPOLES/ GLAUCIA CHAVES

A academia é um lugar onde se busca saúde, mas também é um local favorável para a proliferação de microorganismos causadores de uma variedade de doenças de pele. “Lugares quentes e úmidos, como os equipamentos de musculação e os vestiários, são ambientes que favorecem o desenvolvimento de bactérias, vírus e fungos que podem ser transmitidos pelo contato e causar problemas como micoses, infecções, verrugas, impetigo e furúnculos”, frisa a dermatologista Kédima Nassif, integrante da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).



Para evitar o contato com os microorganismos, uma dica é investir em roupas que absorvam o suor, para manter sua pele seca e prevenir o desenvolvimento de germes. Segundo a especialista, é interessante também trocar as roupas suadas por limpas assim que terminar a atividade física, evitando que haja proliferação bacteriana e fúngica no corpo favorecida pela umidade.




Ao tomar banho após a atividade física, a médica sugere que a água esteja morna, para evitar a remoção da camada de proteção da pele contra vírus e bactérias. “Se for utilizar o banheiro do vestiário da academia, não esqueça de usar chinelos para proteger os pés, pois banheiros públicos tendem a ser cheios de germes e bactérias que causam infecções”, destaca Kédima Nassif.




 



 


Outra recomendação importante consiste em desinfetar os equipamentos de musculação antes de utilizá-los. Se possível, acrescente uma barreira de proteção extra entre sua pele e o equipamento, como uma toalha. Outra dica valiosa é ter o próprio equipamento, como tapetes de yoga, e nunca compartilhar itens pessoais como toalhas, capacetes e sabonetes, para evitar a propagação de vírus e bactérias.



Lavar roupas e toalhas após cada uso é fundamental para evitar a propagação de microorganismos. “Mochilas e sacolas também devem ser lavadas, pois os germes presentes nos equipamentos usados podem permanecer na bolsa e crescer, infectando roupas e toalhas guardadas em seguida”, acrescenta a dermatologista.



Para reduzir as chances de infecções, lembre de usar esparadrapos, talcos, géis e pomadas em regiões de maior atrito, prevenindo bolhas. Calçados arejados e que não sejam apertados demais também ajudam nesse sentido. Se mesmo assim surgir uma bolha ou corte, mantenha o machucado limpo e coberto com curativos até que esteja curado, pois uma pele machucada enfraquece o sistema de defesa do tecido, permitindo que germes e bactérias penetrem mais facilmente.




 



 


Segundo Kédima Nassif, o cuidado mais importante é checar a pele diariamente à procura de cortes, feridas, vermelhidão, inchaço e infecções. Caso note alguma dessas alterações no corpo, o ideal é procurar um dermatologista imediatamente. “Sem tratamento adequado, infecções e condições de pele podem acabar piorando e apenas um médico especializado conseguirá diagnosticá-las corretamente e indicar o melhor tratamento para o caso”, alerta a dermatologista.