As autoridades municipais estão fazendo vistas grossas para a ocupação irregular as margens da BR-319

16 de abril de 2024 39

Todos ganhando

A tradição milenar e a ciência se juntam na abordagem do fenômeno climático do Aru. Em algumas mitologias indígenas, Aru seria um ser robusto, assemelhado a um sapo, que entre o outono e o inverno se movimenta para trazer friagem e fertilizar roças e pomares. O interesse da ciência está em avaliar o impacto que a ação humana causa durante esse período.

Diante dos prognósticos assustadores de que a serem mantidas as atuais condições de desmatamento a floresta tende a perder 56% de toda sua área até 2050, é tarefa obrigatória pensar em correção de rumos, organizada de tal forma que a mudança não traga prejuízos a nenhum dos atores em ação na Amazônia, mas resulte em mais ganhos para todos, inclusive na perspectiva de um Brasil melhor, objetivo de todos os que se proclamam patriotas.

A previsão das perdas florestais traz agregada outra projeção: se o desmatamento previsto não for contido, o resultado será prejuízos anuais ao redor de 1 bilhão de dólares só na agricultura. O remédio é reduzir o desmatamento para aproveitar ao máximo o potencial sustentável da bioeconomia regional.

É essencial, assim, que as previsões para o desmatamento não tragam só a ameaça do fogo do inferno que virá da imprevidência, mas trace fórmulas para que a preservação da floresta represente concretamente ganhos maiores para todos. Além de acalmar o clima, portanto, é uma questão de democracia econômica e social.

...............................................................................................

Nas capitais

O presidente Lula e seus ministros, o ex-presidente Jair Bolsonaro e a ex-primeira dama Michele devem se voltar as visitações as capitais brasileiras a partir de agora para prestigiar seus candidatos as prefeituras. Também o vice-presidente Geraldo Alckmin vai se desdobrar em apoio aos postulantes do seu partido, o PSB, sendo representado em Porto Velho pelo professor universitário Vinicius Miguel. Vamos ver se influenciam alguma coisa, já que institutos sérios apontam que o que vale nas cidades são as rivalidades tribais locais, numa briga entre aqueles que estão no poder e aquele nome que representa a oposição.

Um paraíso

Com a segurança pública em colapso, a cidade de Porto Velho se transformou num refúgio de foragidos de Rio Branco (AC), Humaitá (AM), Guajará Mirim e Ariquemes. Chegando, são imediatamente cooptados pelas facções criminosas que dominam os complexos habitacionais, Morar Melhor, Orgulho do Madeira Porto Madero e Cristal da Calama em disputas encarniçadas pelo controle do comércio das drogas na região metropolitana. Como consequência temos jovens assassinados todos os finais de semana e os arrombamentos e assaltos se multiplicando a luz do dia no centro e nos bairros. É coisa de louco!

Nas fronteiras

No recente encontro dos govenadores da Amazônia em Rio Branco os mandatários da região Norte voltaram a manifestar preocupação com o grave problema do narcotráfico e contrabando de armas nas fronteiras da região com outros países, como a Bolívia, Peru e Colômbia. A grande verdade é que sem apoio do governo federal, reforçando a Policia Federal com mais armamento, embarcações, os estados não terão condições de asfixiar o crime organizado, agora também atuando no espaço aéreo de Rondônia onde constantemente são aprendidos aviões de pequeno porte abarrotados de cocaína.

Ocupação irregular

As autoridades municipais estão fazendo vistas grossas para a ocupação irregular, invasões e até loteamentos clandestinos as margens da BR-319, depois da ponte sobre o Rio Madeira. Com isto agravam-se os problemas de abastecimento de água, de energia e infraestrutura para os moradores que se aventuram a comprar lotes a preço de banana. A prefeitura de Porto Velho, por exemplo, é impedida pela justiça de atuar em invasões e os problemas se acumulam nas áreas ocupadas. É uma sinuca de bico para os futuros administradores da capital.

Guinada à direita

Numa guinada ainda mais a direita, a atual legislatura da Assembleia Legislativa de Rondônia teve várias trocas de partidos na semana passada. O que chama atenção foi a busca de partidos bolsonaristas com orientação mais conservadora perante o eleitorado viando atender as tendências rondonienses nas urnas. Na casa de leis temos uma única parlamentar petista, que é uma andorinha fazendo verão, atendendo as bases de todos os municípios, inclusive da capital, onde se desdobra na comissão de saúde, uma das mais atuantes do Poder Legislativo estadual.

Via Direta

***Vai começar a temporada de pesquisas para a prefeitura de Porto Velho. Na minha  primeira enquete daria Hildon Chaves (PSDB) na cabeça para mais uma reeleição disparada e em primeiro turno *** Mas sem ele, que não pode disputar uma nova eleição, despontaria como grande adversário de Mariana Carvalho (União Brasil), sua ungida,  o ex-deputado federal Leo Moraes, que pode ser a chamada bola da vez, porque num eventual segundo turno viria com  o apoio do eleitorado evangélico onde a ex-tucana tem grande rejeição ***Trocando e saco para mala, quem já acreditava que estava livre do prefeito Esaú Fonseca em Ji-Paraná se frustrou. Ele promete vir quente e fervendo para a reeleição.  

Fonte: CARLOS SPERANÇA
POLITICA & POLÍTICOS (CARLOS SPERANÇA)

Colunista político do Jornal "DIÁRIO DA AMAZÔNIA", Ex-presidente do SINJOR, Carlos Sperança Neto é colaborador do Quenoticias.com.br. E-mail: csperanca@enter-net.com.br