BR 319 fora do PAC e as paternidades

22 de novembro de 2023 54

Protagonismo tradicional

Há um grande potencial de qualidade, amplitude e eficácia na proposta das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (FAPs) de 19 Estados brasileiros e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) de fornecer R$ 60 milhões para financiar pesquisadores da Amazônia. Ou seja: não só “na”, mas “da” Amazônia e sobre ela.

O aspecto mais destacado desse projeto de incentivo à pesquisa sobre as coisas da floresta é a inclusão nas equipes de campo de pelo menos um integrante dos povos indígenas, quilombolas e comunidades tradicionais. Já existe um vasto e secular portfólio de pesquisadores de todo o mundo que se deslumbram com insights recebidos de seus contatos com os povos da floresta e fazem nome com as descobertas apontadas por xamãs e caciques, mas a ideia, que avança os propósitos do Programa Iniciativa Amazônia+10, é que a pesquisa a partir de agora seja feita com a participação direta de representantes dos povos tradicionais.  

Ainda é uma proposta, e por conta disso merece mais apreciação pela novidade que pelos resultados, ainda por vir. De qualquer forma, chama a atenção para o potencial do Amazônia+10 de captar recursos para a multiplicação das pesquisas na floresta, aproximando cientistas e grupos de pesquisa de todo o país para trabalhar com a gente da própria região. Logo, a primeira pesquisa a fazer é achar quem vai participar dela.

.........................................................................................

Conferência Nacional

O PT rondoniense já está fazendo as inscrições dos interessados do partido em participar da Conferência Nacional Eleitoral, nos dias 8 e 9 de dezembro em Brasília. O partido vai discutir as estratégias para as eleições municipais, num partido muito bem postado na região Nordeste, mas padecendo com o conservadorismo nos estados da região Sul do País. A presidente nacional Gleisi Hoffmam já está em viagem aos estados para convocar a nação petista para o grande encontro que contará com a presença do presidente Luís Inácio Lula da Silva e dos representantes dos partidos da Federação Brasil Esperança, que são o PC do B e o PV.

Cadê a confiança?

Em release enviado pela administração do novo prefeito Assumir Almeida (PSB) de Candeias do Jamari, a população é conclamada a colaborar e confiar no trabalho da nova gestão. Ora, Candeias trocou mais prefeitos do que as prostitutas trocam de calcinhas pelo viaduto do Roque. Cada prefeito cassado, e só neste ano já é o terceiro, é acusado de malversação de dinheiro público, de dividas, de gestão fraudulenta. Ora, aldeões de Candeias, motivos para confiar, não tenho, motivo para colaborar, menos ainda, porque já tem gente preparando cama de gato para ele. É muita sofrencia é coisa de louco!

Fora do PAC

Um forte indicio de que a recuperação da BR 319, que conecta Porto Velho a Manaus, não é prioridade do governo federal é que a obra não consta do Programa de Aceleração e Crescimento-PAC do Palácio do Planalto. Por isto este negócio do ministro dos transportes Renan Filho (PMDB) de montar um grupo de trabalho para viabilizar a construção da estrada é conversa fiada. Por falar em conversa fiada, isto é que não falta em Rondônia. Promete-se o Heuro hospital para dois anos (aquele que nem a documentação foi regularizada), a ponte binacional em Guajará Mirim em três anos, que só começa no ano que vem.

As paternidades

Um hábito muito difundido em Rondônia é o político se outorgar pai de obras públicas. Neste momento a paternidade do viaduto do Cone Sul, aquela intersecção que de um lado segue para Vilhena e de outro para Colorado do Oeste, Cerejeiras e Pimenteiras, é disputada pelos deputados federais Lucio Mosquini (MDB- Ouro Preto do Oeste) e Thiago Flores (MDB-Ariquemes). Mosquini é um farsante dos infernos, mas é do MDB, partido que controla as obras federais por aqui através do Ministro Renan Filho. Thiago Flores também é do MDB. Aí é difícil desvendar a paternidade, vou mandar exame de DNA.

Seca histórica

A seca histórica nos rios do Amazonas já sinaliza escassez do pescado neste final de ano na metrópole amazonense em vista da mortandade de peixes ocorrida nos últimos meses. O que é uma desgraceira para os amazonenses, que comem mais peixe do que as ariranhas (é o maior consumidor per capita do País), é uma oportunidade para os produtores de tambaqui de Rondônia, cujo estado é o maior produtor da espécie do País. Um problema para ganhar este mercado pode ser o transporte, porque a hidrovia do madeira ainda está prejudicada e em obras de dragagem e a BR 319 prestes a enfrentar a estação as chuvas, mais um inverno amazônico.

 

Via Direta

 

*** Nas minhas andanças pela Zona Leste e Zona Sul, constato que abrem estão bem situados para a corrida sucessória em Porto Velho, pela ordem Fernando Máximo (União Brasil), Mariana Carvalho (Progressistas) e Leo Moraes (Podemos) *** O pleito do ano que vem promete, já que tradicionalmente é recheado de zebras, principalmente havendo segundo turno *** Trocando de focinho de porco para tomada: o Procom tem que fiscalizar o tal de black friday, muitos golpes em vista. Pobre consumidor rondoniense *** Pipocam as clinicas de saúde populares, a coisa se transformou numa febre em Porto Velho, numa concorrência com os hospitais onde o preço das consultas é mais elevado. *** Cartela de ovos em São Gabriel da Cachoeira, por causa da estiagem chega a custar R$ 45,00. Em Porto Velho a cartela de 30 ovos  ainda custa R$ 17,00.

Fonte: CARLOS SPERANÇA
POLITICA & POLÍTICOS (CARLOS SPERANÇA)

Colunista político do Jornal "DIÁRIO DA AMAZÔNIA", Ex-presidente do SINJOR, Carlos Sperança Neto é colaborador do Quenoticias.com.br. E-mail: csperanca@enter-net.com.br