Calor gera derretimento recorde dos Alpes, cria lagos e desenterra corpos

28 de setembro de 2023 76

Em mais um sinal do aquecimento do planeta, os glaciais suíços vivem um derretimento histórico e perdem 10% de seus volumes em apenas dois anos. Os dados foram publicados nesta quinta-feira, revelando o impacto de um verão com temperaturas inéditas e um inverno com pouca neve

O encolhimento dos glaciais nos Alpes já é uma realidade há décadas. Mas os novos dados revelam que esse processo está cada vez mais intenso. De acordo com a Academia Suíça de Ciências Naturais, a contração foi de 6% em 2022 e 4% em 2023. A taxa é a mesma identificada entre 1960 e 1990…

Em alguns locais, glaciais que já eram pequenos desapareceram, enquanto regiões como St Annafirn deixaram de ser mesurados

O cenário passou a ser modificado, com o surgimento de lagos que não existiam e corpos desenterrados diante do desgelo de montanhas

Mesmo em altitudes elevadas, o gelo também derrete. No cantão de Valais e em Engadin, um volume importante de glaciais foi perdido, mesmo acima de 3,2 mil metros de altitude e num local considerado onde não há um derretimento da neve nem mesmo no verão

O glacial de Aletsch, um dos mais famosos do país, perdeu dois metros. Enquanto isso, a neve foi abaixo do normal durante o inverno e, quando o verão com temperaturas acima do normal chegou, o derretimento foi acelerado. Nos picos acima de 2 mil metros de altitude, a camada de neve foi a menor em 25 anos… - 

 

Fonte: Jamil ChadeColunista do UOL