Craque do Fluminense faz três, Brasil atropela Nova Caledônia e respira na Copa do Mundo Sub-17

14 de novembro de 2023 62

Na manhã desta terça-feira (14), a Seleção Brasileira Sub-17 atropelou a Nova Caledônia, goleando por 9 a 0 em jogo válido pela segunda rodada da fase de grupos da Copa do Mundo da categoria. Kauã Elias, artilheiro do Fluminense, registrou um hat-trick; Rayan, do Vasco, fez dois; Estêvão e Luighi, do Palmeiras, deixaram suas marcas; e a dupla de zaga João Victor e Vitor Reis também anotou um gol cada.

O resultado recolocou a equipe comandada por Phelipe Leal no Mundial. Depois da surpreendente derrota para o Irã na primeira rodada, o Brasil conseguiu seus primeiros três pontos e subiu para a segunda colocação, ultrapassando os carrascos da estreia no saldo de gols. Os iranianos ainda entram em campo nesta terça-feira, enfrentando a líder Inglaterra.

COMO FOI A ETAPA INICIAL?

A Seleção fez um primeiro tempo sólido e dominou a partida, mas sofreu muito com o nervosismo. O excesso de cruzamentos e chutes de longe mostraram um desespero para abrir o placar. O primeiro gol só viria aos 28 minutos, em cabeçada forte de Rayan. Estêvão e Luighi, craques em formação na Academia, marcaram lindos gols e ampliaram o marcador.

E A METADE FINAL?
Na segunda etapa, bastaram 25 segundos para que o matador Kauã Elias, do Fluminense, marcasse seu primeiro gol na Copa, tirando a pressão. Em minutos, Rayan ampliou em cobrança de pênalti, e o capitão Vitor Reis, também do Palmeiras, marcou de cabeça. Aos 16, João Victor, que recebeu oportunidade como titular nesse segundo jogo, marcou um golaço de longe e deixou a marca do Flamengo no passeio. No fim, ainda houve tempo para Kauã anotar mais dois: primeiro em puxada de contra-ataque, contando com desvio na defesa, e depois em rebote do goleiro Cutran.

O QUE VEM POR AÍ?
Agora, a Seleção tem pela frente a Inglaterra, que pode chegar a seis pontos ainda nesta terça. O jogo acontece na sexta-feira 17), às 9h (horário de Brasília). Já a Nova Caledônia duela contra o Irã, simultaneamente.

Fonte: LANCE