Criminalidade exige ação rápida da segurança pública, violência em Porto Velho está bem acima do tolerável, MDB pretende ocupar três das 24 vagas na Ale

2 de junho de 2022 111

Violência – O governador Marcos Rocha (União Brasil) deve se reunir com sua equipe da segurança pública, polícias Civil e Militar para conter a onda de violência em Porto Velho e municípios do interior. Na última semana seis pessoas foram executadas na capital sem que nossas polícias consigam dominar a situação, que não é diferente no interior. A Operação Saturare, que foi realizada na primeira quinzena de maio não inibiu a violência e a criminalidade em Porto Velho. Inúmeras pessoas, a maioria ex-presidiários, vários deles utilizando tornozeleiras foram executadas com requintes de “acerto de contas”, numa clara demonstração, que as facções estão tomando conta da capital, do Estado.  

Criminalidade – Após a realização da Saturare, que durante três dias seguidos mobilizou policiais Civil e Militar com ações alternadas, variando os locais de abordagens constantemente, a violência e a criminalidade cresceram na capital. Os bloqueios de vias, abordagem de pessoas em veículos, inclusive motocicletas, meio de locomoção mais utilizado pelos assassinos, presença policiai ostensiva marcaram a Operação Saturare, que deve ser realizada todas as semanas, para que a população se sinta mais segura. Os números demonstram, que os assassinatos cresceram, após a Saturare. Seria uma contrapartida do mundo do crime contra o trabalho ostensivo-preventivo das polícias?  

Energisa – A Energisa, empresa responsável pela distribuição da energia elétrica em Rondônia atingiu em maio último, a marca de 10 mil ligações pelo programa Luz para Todos, com média de atendimento de 255 famílias/mês, que foram favorecidas com energia elétrica 24 horas. Segundo a assessoria da Energisa, foram aplicados R$ 213 milhões em menos de 4 anos. Está em ritmo acelerado o programa Mais Luiz para Todos, criado pelo Ministério de Minas e Energia (MME) e Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que tem como objetivo levar até o final deste ano energia limpa 24 horas a 900 famílias ribeirinhas. Desde novembro de 2018, que a Energisa tem a responsabilidade da distribuição da energia elétrica em Rondônia, após assumir a Centrais Elétricas de Rondônia-Ceron.  

MDB – Após a janela de migração partidária (3 de março a 1º de abril), que possibilitou a deputados (federal e estadual) a troca de partido sem a possibilidade de perder o mandato, por infidelidade partidária, o MDB, que tinha dois deputados estaduais, perdeu Eurípedes Lebrão, que migrou para o União Brasil, que é presidido no Estado pelo governador Marcos Rocha, pré-candidato à reeleição. Hoje o MDB tem um representante na Assembleia Legislativa (Ale), o deputado Jean Oliveira, segundo mais bem votado parlamentar nas eleições de 2018, com 17.823 votos. Jean é pré-candidato à reeleição, é presidente do diretório municipal de Porto Velho e, além da capital tem trabalho realizado na maioria dos municípios da região da Zona da Mata. A estimativa dos dirigentes do MDB é aumentar a bancada para no mínimo três deputados a partir de 2023.  

MDB II – Além de Jean, o MDB aposta na ex-deputada estadual e ex-prefeita de Cacoal, Glaucione Rodrigues, no vereador e presidente da câmara de Ji-Paraná, Wellington da Fonseca, filho do prefeito Isaú Fonseca, também do MDB e o vereador de Jaru, Dr. Luiz Eduardo. Todos são pré-candidatos a deputado estadual e com amplas condições de somar os votos necessários para garantir espaço entre as 24 cadeiras do legislativo estadual. Também não se pode descartar outros nomes, que deverão compor a lista de candidatos a deputado estadual do MDB, após as convenções partidárias, que serão realizadas no período de 20 de julho a 5 de agosto. Não será por falta de bons candidatos, já identificados com o eleitorado estadual, que o MDB deixará de ter uma bancada forte na Ale-RO a partir de fevereiro do próximo ano.  

Respigo  

A situação do MDB de Rondônia na área federal não é diferente do que ocorre na estadual. O Estado elegeu a bancada federal com um deputado de cada partido +++ Hoje com a janela migratória somente o PL, presidido no Estado pelo senador Marcos Rogério, pré-candidato a governador este ano, tem dois deputados. O coronel Chrisóstomo Moura, que foi eleito pelo PSL, e Sílvia Cristina, que se elegeu pelo PDT +++ Em representatividade o PL é hoje o partido mais importante de Rondônia. Além de Marcos Rogério no Senado tem Sílvia Cristina e Chrisóstomo na Câmara Federal +++ Na Ale-RO tem três parlamentares. Ribamar Araújo (PVH), Jean Mendonça (Pimenta Bueno) e Eyder Brasil (PVH) +++ Em Ji-Paraná o médico Edson Aleotti é pré-candidato a deputado federal nas eleições de outubro próximo. Aleotti, que também é empresário e pecuarista está filiado ao PSD, presidido no Estado pelo deputado federal Expedito Netto e confirmou sua pré-candidatura à Câmara Federal.

Fonte: WALDIR COSTA
RD POLITICA ( WC E REDAçãO)